dcsimg

ENCONTRE SEU
PLANO DE SAÚDE
EM 30 SEGUNDOS!

ENCONTRE SEU PLANO DE SAÚDE EM 30 SEGUNDOS!

Qual plano você precisa?

Azeite de oliva e seus benefícios extraordinários para a saúde!

Os benefícios do azeite de oliva para a nossa saúde são insuperáveis e praticamente todos os dias novas propriedades são descobertas. 

Azeite de oliva: benefícios para a saúde e informação nutricional

O azeite de oliva, rico em ácidos graxos monoinsaturados, é um dos principais componentes da dieta Mediterrânea. As populações dessa região tem maior expectativa de vida e menor risco de doenças cardíacas, pressão alta e derrame, comparadas com as da América do Norte e Europeus.

Azeite de oliva: benefícios para a saúde e informação nutricional

O que é azeite de oliva?

O azeite de oliva é obtido da fruta da oliveira (Olea europaea), uma árvore frutífera tradicional da região do Mediterrâneo, onde as olivas inteiras são prensadas para produzir o óleo de oliva. Ele é usado não somente para cozinhar, mas em cosméticos e medicamentos. Em alguns locais é utilizado em lamparinas, como combustível. Atualmente o seu uso é adotado mundialmente.

Clique aqui e faça a cotação do seu plano de saúde.

O que é azeite de oliva?

A Grécia tem o maior consumo de azeite de oliva per capita do mundo. Os gregos consomem, em média, 24 litros por pessoa por ano.

Parece que somente agora estão começando a ser conhecidas as incontáveis maneiras em que o azeite de oliva pode melhorar a nossa saúde e as nossas vidas, mas ele sempre foi fundamental na dieta dos povos de maior longevidade do mundo.

Efeitos comprovados no tratamento do câncer

O oleocantal, nutriente vegetal do azeite de oliva, tem efeito semelhante ao ibuprofeno na redução das inflamações, o que pode reduzir o risco de câncer de mama. Outros elementos presentes no azeite de oliva, como o esqualeno e linhanas estão os que vêm sendo estudados como tendo efeitos possíveis sobre o câncer.

Que tal cuidar da sua saúde agora? Aproveite e faça a cotação do seu plano de saúde.

Efeitos comprovados no tratamento do câncer

Novos estudos estão provando que um ingrediente presente no azeite de oliva extra virgem, o oleocantal, pode matar células cancerosas. Os pesquisadores estão descobrindo, através de estudos de laboratório, que o ingrediente chamado oleocantal causa ruptura da parte das células cancerosas, liberando uma enzima que provoca a sua morte, sem causar dano às células saudáveis. As células cancerosas são mortas pelo efeito de sua própria enzima.

Entre outros, foram publicados os seguintes estudos:

– Onica LeGendre, Paul Breslin e David Foster – Oleocanthal rapidly and selectively induces cancer cell death via lysosomal membrane permeabilization

Lisa Parkinson e Russell Keast –  (Oleocanthal, a Phenolic Derived from Virgin Olive Oil: A Review of the Beneficial Effects on Inflammatory Disease)

Efeitos comprovados no tratamento do câncer

Existem muitos componentes no azeite de olive extra virgem que agem como bons antioxidantes, prevenindo a ação de radicais livres e que são anti-inflamatórios. O oleocantal está provando interferir em muitos processos associados a inflamações, como no mal de Alzheimer e na formação e expansão do câncer. Nas experiências, o oleocantal causou a morte de células do câncer muito rapidamente, em 30 minutos, em um fenômeno que nunca antes havia sido observado e explicado, que é a liberação de enzimas tóxicas que matam essas células.

Portanto, os estudos confirmam as qualidades anti-oxidantes e anti-inflamatórias do azeite de oliva extra virgem e os benefícios para a saúde das dietas ricas em azeite de oliva, como a dieta do Mediterrâneo.

Azeite de oliva extra virgem e o Alzheimer

Pesquisadores descobriram, em experiências de laboratório com ratos, que o oleocantal ajuda a expulsar as proteínas anormais do mal de Alzheimer para fora do cérebro. Os estudos concluíram que ele aumentou a produção de duas proteínas e enzimas importantes, vitais para remoção do beta-amiloide do cérebro, reduzindo o risco de demências neurodegenerativas associadas.

As pesquisas confirmaram que as taxas de Alzheimer são mais baixas nos países do Mediterrâneo, onde o consumo de azeite de oliva é maior do que em qualquer outra parte do mundo.

Azeite de oliva extra virgem e o Alzheimer

Azeite de oliva extra virgem no tratamento da pancreatite aguda

O azeite de oliva extra virgem é rico em ácido oleico e hydroxytyrosol, que combatem o desenvolvimento da pancreatite aguda (repentina inflamação do pâncreas). Pesquisadores da Universidade de Granada, na Espanha, realizam experimentos “in vitro” que comprovaram este benefício e relataram as evidências de que há processos inflamatórios na origem de doenças crônicas e a dieta desempenha um importante papel nesses processos.

Azeite de oliva e o fígado

Pesquisadores da Universidade de Monastir, na Tunísia e da Universidade King Saud, na Arábia Saudita, desenvolveram um estudo demonstrando que o azeite de oliva extra virgem pode proteger o fígado do estresse oxidativo, que são os danos associados à reação química entre os radicais livres e outras moléculas no corpo. Em outras palavras, estresse oxidativo significa danos provocados nas células do fígado.

Azeite de oliva protege contra a colite

A colite ulcerativa, um problema crônico, é uma inflamação do colón intestinal. É um tipo de inflamação similar à doença de Crohn. Cientistas da Universidade de East Anglia, na Inglaterra, afirmam que consumir mais azeite de oliva pode ajudar a cicatrizar a colite ulcerativa. O Dr. Andrew Hart e sua equipe analisaram informações de mais de 25.000 pessoas, residentes em Norfolk, naquele país. Os voluntários que participaram do estudo tinham entre 40 e 65 anos. Nenhum deles tinha colite ulcerativa antes de começar o estudo. Durante a experiência completaram questionários e forneceram dados sobre sua alimentação diária, estado da saúde e consumo de gorduras.

Ao final do estudo, comparando pessoas que desenvolveram colite com as que não apresentaram o problema, os pesquisadores descobriram que os participantes que ingeriram mais azeite de oliva tiveram uma incidência 90% menor de colite ulcerativa do que os que consumiram menos. O Dr. Hart afirmou que o ácido oleico presente no azeite bloqueia os efeitos químicos que provocam a inflamação e estima que metade dos casos de colite poderiam ser prevenidos se maiores quantidades de azeite fossem consumidas. Segundo ele, o ideal são duas ou três colheres de sopa de azeite de oliva por dia, para se conseguir um efeito protetor.

Azeite de oliva protege contra a colite

Azeite de oliva reduz o risco de diabetes tipo 2

Segundo as descobertas mais recentes, o tipo de gordura presente em um alimento é mais importante do que a quantidade de gordura. Uma dieta rica em óleos monoinsaturados, como os encontrados no azeite de oliva, nozes e sementes na verdade protege contra muitas doenças crônicas, como o diabetes. Um estudo publicado pela revista científica Diabetes Care mostrou que a dieta rica em azeite de oliva reduz em quase 50% o risco de diabetes, em comparação com dietas de baixo teor de gordura.

Azeite de oliva ajuda a prevenir o derrame cerebral

Pessoas idosas que consomem azeite de oliva diariamente estão mais protegidas contra o derrame, de acordo com um novo estudo produzido na França e publicado online no jornal Neurology. O estudo foi feito com registros médicos de 7.625 indivíduos com mais de 65 anos, de três cidades da França. Os resultados mostraram que aqueles que usavam azeite de oliva intensivamente, para cozinhar e em temperos, tiveram um risco 41% menor de ter um derrame, comparado aos que não usavam azeite de oliva. Os resultados foram mantidos mesmo considerando peso, atividade física e outros fatores de risco.

Azeite de oliva mantém o coração jovem

Uma dieta rica em azeite de oliva pode ser capaz de diminuir o envelhecimento do coração. Quando envelhecemos o coração também envelhece, as artérias podem não funcionar tão bem quanto antes e isso leva a um grande número de problemas. Entretanto, de acordo com um estudo recente de pesquisadores da Espanha, a dieta rica em azeite de oliva pode melhorar a função arterial de pessoas idosas.

Azeite de oliva combate a osteoporose

Estudos demonstraram que uma suplementação alimentar com azeite de oliva tem um efeito positivo na estrutura frágil dos ossos. O azeite de oliva não é a única solução no combate à osteoporose que ocorre nas mulheres após a menopausa, mas os cientistas concluíram que esse é um componente promissor no tratamento desta doença.

Conclusões dos mais recentes estudos

O desenvolvimento recente de estudos sobre os benefícios do azeite de oliva ampliaram a ideia que se tinha sobre esse importante elemento da nossa alimentação. Podemos destacar os seguintes descobertas recentes:

Uma dieta com azeite de oliva e nozes pode proteger a memória – pesquisadores espanhóis afirmam que uma dieta com azeite de oliva extra virgem, suplementada por porção adicional de nozes ou castanhas protege a função cognitiva de adultos idosos.

Até mesmo alimentos fritos em azeite de oliva tem alto valor nutricional – fritar em azeite de oliva é mais saudável do que utilizar outros métodos e pode ajudar a prevenir câncer, diabetes e degeneração da mácula, de acordo com pesquisa publicada na revista Food Chemistry.

Compartilhe esse artigo nas redes sociais:
O que você achou deste artigo? Sua avaliação é muito importante para nós!
Por favor, atribua uma nota:

avaliação
Rating

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.