dcsimg

ENCONTRE SEU
PLANO DE SAÚDE
EM 30 SEGUNDOS!

ENCONTRE SEU PLANO DE SAÚDE EM 30 SEGUNDOS!

Qual plano você precisa?

A gravidade do impacto da poluição atmosférica na saúde

poluicao-do-ambienteA poluição atmosférica no Estado de São Paulo mata na capital, mas também no interior. O número de vítimas não é pequeno, equivale a mais do que o dobro das mortes que ocorrem em acidentes de trânsito!

Um estudo inédito da ONG Saúde e Sustentabilidade, apresentado em setembro na Câmara Municipal da capital paulista, mediu o número de vítimas da poluição, com abrangência estadual, durante o período de 2006 a 2011. O trabalho constatou que, nesses seis anos, 99.084 pessoas morreram em decorrência da poluição por diversos agentes, entre eles a poeira fina, que é capaz de penetrar profundamente no sistema respiratório e causar graves danos, levando a complicações e à morte.

Somente em 2011, a poluição do ar levou a 17.443 mortes no Estado de São Paulo, o que representa mais do que o dobro das mortes em acidentes de trânsito, 7.867, nesse mesmo ano. Em todo o ano de 2011, a poluição do ar esteve relacionada a 68.499 internações hospitalares.l

Segundo vários médicos que participaram da realização do estudo, a poluição do ar por poeira fina está presente em todo o Estado. A maioria das pessoas afetadas gravemente faz parte do conjunto mais suscetível da população, que são as crianças, idosos e adultos que sofrem de doenças cardiorrespiratórias.

Clique aqui e faça a cotação do seu plano de saúde.

As internações hospitalares são causadas em até 40% pela poluição dos veículos, do trânsito. Os demais indivíduos afetados são os que sofrem com o impacto do ar empoeirado que respira. No interior do Estado o problema está diretamente relacionado com a prática das queimadas e com a queima da cana-de-açúcar.

Para chegar aos resultados, as medições da quantidade de poluentes na atmosfera foram geradas pela CETESB, agência ambiental paulista.

A poluição no interior do Estado de São Paulo

Ao contrário do que se imagina, a poluição não mata apenas em decorrência do trânsito das metrópoles e capitais. Nas cidades estudadas, localizadas no interior do Estado de São Paulo, os níveis de poeira fina e muito fina estão acima dos índices considerados seguros para a saúde humana, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde).

Os municípios que apresentam o maior risco para a saúde, chegando à morte, são: Cubatão, Araçatuba, São José do Rio Preto, Osasco, São Carlos e Araraquara. No entanto, é possível que o problema seja ainda maior, porque a medição desse tipo de poluição não é feita em todos os municípios de São Paulo. E cidades que não estão em regiões metropolitanas têm sido muito afetadas, como é o caso de Araçatuba, que está entre as dez cidades mais poluídas.

Que tal cuidar da sua saúde agora? Aproveite e faça a cotação do seu plano de saúde.

A pesquisa mostrou que Araraquara está em quarto lugar entre as cidades com maior poluição, até mesmo à frente da capital do Estado, o que é um fato assustador. Foram 94 pessoas mortas e 206 internadas em apenas um ano. O motivo foi o somatório de fumaça tóxica produzida por veículos, pelas indústrias e pelas queimadas. .Os gastos na rede pública de saúde com as internações foram de R$ 445.645,00.

Um alerta para a prevenção

O Instituto Saúde e Sustentabilidade está alertando a população, porque o material particulado, ou poeira fina, está em todo lugar. Para fazer o levantamento a equipe usou dados do SUS (Sistema Único de Saúde) e da CETESB.

A construção civil, por exemplo, joga as partículas no ar, sem o menor cuidado. O que é preciso é que o poder público se posicione para mudar as políticas públicas e se consiga reduzir os danos causados pela poluição. Isso somente será conseguido com o controle sobre aqueles que emitem poluentes. Se as pessoas ficam doentes e morrem por causa da poluição, é preciso divulgar os dados para que se consiga uma mudança. Não será possível saber do problema e continuar com as mesmas práticas, sem que ele seja solucionado.

Na região de Araraquara e São Carlos, as queimadas contribuem para a maior parte da poluição do ar. Na época da maior seca, setembro, o mato pega fogo e ainda existem os incêndios criminosos, apesar das 196 multas que foram distribuídas somente no ano de 2013.

Para tentar diminuir o problema das queimadas, a Secretaria de Meio Ambiente do Município fará no ano que vem um trabalho informativo, em colaboração com a Secretaria de Educação, a Defesa Civil e os bombeiros. Uma dica para os proprietários de terrenos é a de misturar terra com mato, para que o fogo não se alastre.

Os veículos pesados poderão ser proibidos de circular no centro das cidades afetadas durante o horário comercial. O trânsito congestionado só aumenta os problemas respiratórios da população.

Compartilhe esse artigo nas redes sociais:
O que você achou deste artigo? Sua avaliação é muito importante para nós!
Por favor, atribua uma nota:

avaliação
Rating