Descubra o preço
do seu
Plano de Saúde

Descubra o preço do seu Plano de Saúde

ANS quer obrigar os planos a divulgar taxa de cesárea

Desde o dia 25 de outubro de 2014, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), profissionais de saúde, mães e pais poderão opinar através da internet sobre um assunto que gera muita polêmica: o grande número de cesáreas realizado nos hospitais particulares brasileiros.

Os especialistas da saúde dizem que a cesárea traz mais riscos para a criança e mãe, mas mesmo assim 84% dos partos realizados em locais particulares engloba este tipo de procedimento na hora do parto, sendo que o recomendado é de apenas 15%, conforme a Organização Mundial da Saúde.

Para combater este problema, a ANS está propondo que a mulher ganhe um Cartão da Gestante onde constará dados do seu pré-natal que deverá ser apresentado na maternidade, junto de um Partograma, onde haverá um relatório sobre a saúde do bebê e da mãe.

ANS quer obrigar os planos a divulgar taxa de cesárea

Imagem: Getty

Além disso, os planos podem ser obrigados a divulgar a porcentagem de partos normais e cesáreas realizados em hospitais privados. Desta maneira, se esta for uma norma aprovada, a mulher pode entrar em contato com seu plano de saúde e saber o tipo de parto que o hospital e médico faz com mais frequência.

Diante da informação sobre a cesárea ou parto normal, a gestante poderá optar se deseja mesmo fazer seu pré-natal e depois o parto com aquele profissional e naquele hospital.

Muito se cria de mitos sobre os tipos de partos, o que leva à desinformação e depois à polêmica sobre o melhor tipo de parto. Porém, sabendo um pouco mais sobre estas verdades é possível realizar uma boa escolha na hora de ter seu bebê. Por exemplo, só porque a criança está sentada não significa que tenha que fazer uma cesárea.

A Agência Nacional de Saúde Suplementar informou que jamais quer passar uma imagem ruim da cesárea, já que ela é necessária em muitos tipos de partos e salva vidas, mas querem lembrar que este procedimento pode aumentar em 120 vezes a probabilidade de problemas respiratórios na criança, além de trazer três vezes mais risco de morte para a mãe. Vale dizer ainda que 25% dos óbitos neonatais no Brasil estão ligados ao nascimento prematuro, quando há um procedimento de cesárea desnecessário.

Mesmo concordando que deve-se haver medidas para o controle de cesáreas no país, as medidas da ANS ainda causam polêmica entre os profissionais da área. Enquanto isso, as defensoras do Ministério Público e dos direitos das mulheres moveram a ação a fim de cobrar mais medidas da agência e concordam com a obrigação da divulgação da taxa de cesárea, mesmo achando que este é um primeiro passo para o problema.

Quando se fala então sobre a classe médica, um representante afirma que isso “viola a autonomia médica”.

E você, o que acha desta polêmica entre parto normal e cesárea? Acha que está certo obrigar os planos a divulgar a taxa de cesárea e criar o Cartão da Gestante junto com o Partograma para melhorar estes números no país ou acredita que estas medidas não vão melhorar esta porcentagem de cesariana nas redes privadas?

Saiba o preço do seu Plano de Saúde

Qual seu tipo de plano?

Simular

Jeniffer Elaina da Silva

Jeniffer Elaina trabalha como Editora freelancer, tendo mais de cinco anos de experiência em escrita e revisão de artigos para web. É formada em Marketing com pós-graduação em Administração de Empresas na FGV. Sua maior paixão é poder compartilhar conhecimentos e aprender um pouco mais a cada dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.