ENCONTRE SEU
PLANO DE SAÚDE
EM 30 SEGUNDOS!

ENCONTRE SEU PLANO DE SAÚDE EM 30 SEGUNDOS!

Campanha de vacinação 2018 é para proteção de todos

Com o objetivo de aumentar a cobertura de vacinação no país e proteger ainda mais quem já foi vacinado, o governo lança a Campanha de Vacinação 2018 contra pólio e sarampo, durante o mês de agosto.

Campanha de vacinação 2018 é para proteção de todos

Imagem: Lançamento da campanha de vacinação contra o sarampo e a poliomelite.

A  melhor forma de proteção contra doenças contagiosas é a vacina e por isso é muito importante vacinar as crianças. A saúde é uma responsabilidade de todos e a consciência de cada um sobre a importância das vacinas é o que vai proteger a sociedade como um todo. Infelizmente, as vacinas deixaram de ser aplicadas de maneira eficaz em 2017, ficando fora da meta, com o menor índice em 16 anos

No dia 31 de julho, o Ministério da Saúde lançou a campanha nacional de vacinação. A campanha de 2018 tem  como objetivo aumentar cobertura das vacinas no país, tentando reverter os prejuízos que estão ocorrendo, decorrentes das falhas na vacinação do último ano, promovendo uma maior proteção também para quem já foi vacinado.  A campanha quer vacinar mais de 11 milhões de crianças no Brasil.

Campanha de vacinação 2018 é para proteção de todos

Imagem: https: 121doc

Quem deverá ser vacinado?

Poliomielite

Crianças de 1 até 5 anos. Se a criança ainda não tomou nenhuma dose, será aplicada a Vacina Inativada Poliomielite. Em caso de já ter tomado uma ou mais doses, será aplicada a Vacina Oral Poliomielite, a famosa “gotinha”. Portanto, todas as crianças deverão ser vacinadas, independentemente de quantas doses já tomou.

Sarampo

– Todas as crianças de 1 até 5 anos devem ser vacinadas, independentemente de quantas doses a criança já tomou. Todas as crianças receberão uma dose da vacina Tríplice Viral, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola.  Somente não serão vacinadas as crianças que tomaram a vacina nos últimos 30 dias.

Campanha de vacinação 2018 é para proteção de todos

A campanha de vacinação 2018 tem três objetivos:

1 – Vacinar as crianças que nunca tomaram vacina.

2 – Completar o esquema de vacinação das crianças que não tomaram todas as doses, deixando todas em dia com a vacina.

3 – Dar uma dose de reforço para aquelas que já estão com o esquema de vacinação em dia, isto é, as que tomaram todas as doses necessárias à proteção.

A partir do lançamento, a campanha terá a duração de um mês, finalizando no dia 31 de agosto. O Dia D da mobilização acontecerá no dia 18 de agosto, quando mais de 36 mil postos de vacinação estarão abertos no país. As estimativas do Ministério da Saúde são de que ao menos 95% das crianças serão vacinadas, num total de 11,2 milhões.

A campanha tem como madrinha a apresentadora Xuxa Meneghel e como símbolo, o Zé Gotinha, conhecido das campanhas contra a pólio nos anos 80. O Calendário Nacional de Vacinação tem todas as vacinas recomendadas pela OMS, para todas as faixas etárias, num total de 19, para combater mais de 20 doenças.

Campanha de vacinação 2018 é para proteção de todos

Imagem: br.sputniknews

O sarampo retornou como resultado das falhas na vacinação

A campanha de vacinação de 2018 é ainda mais importante porque o sarampo voltou a fazer vítimas no Brasil, além da ameaça de retorno da poliomielite. Este ano já foram registrados 822 casos de sarampo. Os estados do Amazonas e Roraima são os mais atingidos pelo surto.

A preocupação com a poliomielite deve-se ao fato de que existem 312 cidades no Brasil que não cumpriram a meta estabelecida para o controle da doença através da vacina. Um caso foi registrado na Venezuela em junho, o que trouxe preocupação no país pela chegada de grande contingente de imigrantes venezuelanos. A paralisia no Brasil foi erradicada em 1994 e não foi registrado nenhum caso. O sarampo havia sido eliminado em 2016, mas está voltando.

Campanha de vacinação 2018 é para proteção de todos

Imagem: fronteiraonline

Casos de sarampo no Brasil

Em 2018, ocorrem no Brasil surtos de sarampo que atingem os estados:

– Amazonas – 742 casos

– Rio de Janeiro – 14 casos

– Rio Grande do Sul – 13 casos

– Pará – 2 casos

– São Paulo – 1 caso

  • – Rondônia – 1 caso

Fonte: Ministério da Saúde

Os surtos estão relacionados com a importação do vírus no caso do Amazonas e Roraima, que concentram 97% dos casos confirmados. Nos demais estados, a contaminação não é devida à importação.

A origem externa do vírus ficou comprovada porque ele tem o genótipo (D8) identificado como sendo o mesmo que está circulando na Venezuela, segundo o Ministério da Saúde. Existem milhares de casos (4.470) sendo ainda investigados no Amazonas. Roraima tem 106 casos sob investigação.

Em 2016, o Brasil havia ganhado o Certificado de Eliminação do Sarampo, concedido pela Organização Pan-Americana de Saúde, por haver eliminado da circulação o vírus do sarampo. Atualmente será preciso aumentar os esforços para manter o certificado, através da interrupção da transmissão de surtos, sem permitir que a transmissão se torne sustentada por mais de 12 meses.

Sintomas comuns do sarampo

– Irritação nos olhos

– Corrimento no nariz

– Manchas brancas na parte interna da bochecha e mal-estar

– Tosse persistente

– Manchas vermelhas na pele

– Perda de apetite

– Diarréia

Sintomas de complicações do sarampo

– Febre e convulsões

– Infecções dos ouvidos, que em casos graves leva à surdez

– Conjuntivite

– Pneumonia

Sintomas graves do sarampo

– Lesão cerebral

– Infecções no encéfalo

Tratamento

Não há tratamento para o sarampo. Nos casos graves é ministrada a vitamina A. Nos casos menos graves é indicada a ingestão de líquidos e controle da febre.

Fonte: Ministério da Saúde, Fiocruz e Sociedade Brasileira de Imunizações.

Campanha de vacinação 2018 é para proteção de todos

Imagem: osollo

O Secretário de Estado da Saúde do Paraná, Antônio Carlos Nardi declarou que nos últimos anos muitas informações errôneas circularam na internet, prejudicando as campanhas de vacinação e comprometendo a imunização contra diversas doenças, como o sarampo e a poliomielite, também conhecida como paralisia infantil. Muitos boatos criaram resistência em relação às vacinas. No entanto, afirmou o Secretário, as vacinas são seguros e as pessoas não devem se preocupar com esses boatos.

A vacina é a única maneira de se prevenir o sarampo. Os adultos que não foram vacinados na infância contra essa doença, também devem procurar os postos de vacinação para se imunizar. Não existe uma campanha específica para vacinação dos adultos. Todos podem ser vacinados de acordo com a rotina do Calendário Nacional de Vacinação, mantendo atualizado o seu cadastro de vacinas.

As pessoas com até 29 anos de idade devem ter em sua caderneta 2 doses da vacina tríplice viral, que protege contra três doenças: sarampo, caxumba e rubéola. Quem tem entre 30 e 49 anos precisa ter na caderneta de vacinação uma dose de vacina tríplice viral. Se a pessoa nunca tiver tomado essas doses ou não lembrar se tomou ou não, o recomendado é que procure a unidade de saúde para ser orientado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.