ENCONTRE SEU
PLANO DE SAÚDE
EM 30 SEGUNDOS!

ENCONTRE SEU PLANO DE SAÚDE EM 30 SEGUNDOS!

Plano de saúde precisa oferecer parto normal

ANS estabelece regras para que os planos de saúde disponibilizem o parto normal.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que o parto normal tenha prioridade, pois isso permite que o bebê e a mãe correm menos riscos. Ela recomenda que apenas 15% dos partos sejam cesárea.

No Brasil esse índice ainda está longe de ser alcançado. Um levantamento realizado pelo Ministério da Saúde em 2015 aponta que o percentual de partos normais foi de 44,5% apesar de ser o mais baixo desde 2010.

Pensando em mudar essa situação, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) criou algumas regras para que o foco das operadoras de saúde deixe de ser a cesárea.

Plano de saúde precisa oferecer parto normal

O direito ao parto normal

Muitas mulheres que possuem plano de saúde relatam a dificuldade de realizar um parto normal, isso porque os médicos insistem na cesárea ou cobram valores extras para a realização do procedimento.

Entretanto, a recomendação é que a cesárea seja utilizada apenas em última instância, porém, não foi o que ocorreu.

Devido a esses problemas, a ANS criou algumas regras para que as mulheres tenham o direito de ter os bebês pelo plano de saúde e para o parto normal.

O governo criou uma série de regras que visam transformar o parto de um conjunto de técnicas em um momento humanizado.

As operadoras precisam divulgar o número de partos normais e cesáreas realizados por cada médico e também por estabelecimento da saúde. O prazo para que esses dados sejam divulgados é de até 15 dias. Com isso a mulher pode escolher o profissional e o local mais adequados.

Outra exigência é o partograma que consiste no registro do trabalho de parto em um gráfico. Dessa forma, as cesáreas eletivas serão contidas e terão dificuldade para conseguir o reembolso do plano de saúde.

O cartão da gestante também deverá ser utilizado, contendo todas as informações do pré-natal. Ele permitirá o acompanhamento da saúde da mulher e que durante esse período ela entenda os riscos de cada tipo de parto e opte por um deles.

A recomendação para as gestantes que não conseguirem realizar o parto normal pelo plano de saúde é de que elas denunciem a ANS.

Os riscos das cesáreas

  • Risos a saúde mental da mãe e dificuldade de iniciar a amamentação;
  • Surgimento de problemas respiratórios para o bebê;
  • Aumento dos riscos de morte materna e infantil;
  • Aproximadamente 25% dos óbitos neonatais são relacionados ao nascimento; prematuro que pode estar ligado a cesariana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.