ENCONTRE SEU
PLANO DE SAÚDE
EM 30 SEGUNDOS!

ENCONTRE SEU PLANO DE SAÚDE EM 30 SEGUNDOS!

Saúde e Segurança no Trabalho para prevenção de acidentes

Você sabia que a cada quatro horas e meia uma pessoa morre no Brasil vítima de acidente de trabalho? Do início de 2017 a março de 2018, foram notificados 675.025 acidentes de trabalho e 2.351 mortes.

O pior desse drama é que esse número não é menor do que em 2016, mas o índice de notificações permanece estável, o que é mais preocupante. O Brasil está em quarto lugar no mundo em número de acidentes dessa natureza, atrás apenas da China, Índia e Indonésia.

Saúde e Segurança no Trabalho para prevenção de acidentes

Imagem: noticias.portaldaindustria

Entre 2012 e 2017, o gasto com pagamento de auxílios-doença, aposentadorias por invalidez, auxílios-acidente e pensões por morte foi de R$ 26,2 bilhões. É a conta paga pela Previdência Social, segundo o Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho, do Ministério Público do Trabalho (MPT) e da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que publicou seus dados em 2018.

 Em 2017, as perdas da economia com acidentes de trabalho foram de cerca de R$ 264 bilhões e para os especialistas esses números assustadores são apenas a “ponta do iceberg”.

Saúde e Segurança no Trabalho para prevenção de acidentes

Imagem: okup.com

O procurador e coordenador do Laboratório de Gestão SmartLab de Trabalho Decente, Luis Fabiano de Assis declarou que o Brasil perde, por ano, o equivalente a 4% do seu Produto Interno Bruto (PIB) com as despesas decorrentes dos acidentes de trabalho, que podem ser evitados.

Onde acontecem os acidentes de trabalho

Os setores mais perigosos, que são responsáveis pelo maior número de acidentes por ano são:

  • Serviços – 76.256
  • Indústria extrativa e da construção civil – 46.673
  • Transformação de metais e de compósitos – 44.808
  • Escriturários – 40.371
  • Exploração agropecuária – 33.990
  • Técnicos das ciências biológicas, bioquímicas, da saúde – 29.718
  • Trabalhadores da fabricação de alimentos, bebidas e fumo – 23.351

Fonte: Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho e Anuário Estatístico da Previdência Social

Entre os profissionais mais vitimados estão os que trabalham com máquinas e equipamentos, onde tem mais chances de se acidentar e de sofrer ferimentos graves. Também os que trabalham em linhas de produção, os técnicos de enfermagem, os que trabalham em limpeza, serventes de obras e motoristas de caminhões.

Saúde e Segurança no Trabalho para prevenção de acidentes

Imagem: nr12semsegredos

O objetivo dos estudos divulgados pelo MPT e da OIT é estimular as discussões sobre como reduzir os riscos de acidentes do trabalho, que são um problema de saúde pública, econômico e previdenciário, justamente quando se discute a necessidade de reforma da Previdência Social. São acidentes onde há perdas de vidas, perdas econômicas para as famílias, para a sociedade e que dão origem a um grande número de ações na Justiça.

Atualmente, no mundo inteiro, existem estudos sobre os ganhos de produtividade que são resultados da diminuição da ocorrência de acidentes e consequentes afastamentos. O procurador-geral do Trabalho, Ronaldo Fleury, afirmou que os índices de acidentes e doenças provocados pelo trabalho são altamente preocupantes e que os dados não registram a totalidade do que ocorre, porque a maioria dos acidentes não é notificada, o que desobedece a legislação trabalhista.

As empresas e os governos precisam garantir que os trabalhadores voltem para casa com saúde. É preciso combater a ideia de que o problema de saúde do trabalhador acidentado deixa de ser da empresa e passa a ser do governo, da Previdência Social, ou seja, passa a ser um problema da sociedade.

Saúde e Segurança no Trabalho para prevenção de acidentes

Imagem: grradvogados

A maioria dos acidentes de trabalho deixaria de ocorrer se fossem cumpridas as normas de segurança e saúde por parte das empresas. Quando acontecem por negligência do empregador nem poderiam ser classificados como acidentes de trabalho. As empresas, segundo Fleury, devem ser responsabilizadas pelo pagamento das pensões e benefícios aos acidentados, quando o que ocorre é por falta de segurança e negligência das empresas, não sendo justo que sejam pagas pela sociedade.

Porque os acidentes acontecem

Os motivos são velhos conhecidos e podem ser evitados, como cansaço, descuido e falta dos equipamentos de segurança. O problema é sério, como demonstra o número de mais de 700 mil acidentes de trabalho todo ano, isso só oficialmente.

Os acidentes de trabalho geram custos da ordem de bilhões de reais para a Previdência Social, como aposentadoria por invalidez, auxílio doença e pensão por morte. Somente entre 2012 e 2016 esses gastos chegaram a R$ 22 bilhões.

Saúde e Segurança no Trabalho para prevenção de acidentes

Imagem: edicaoms.com

Cerca de 450 mil pessoas sofreram fraturas, nos últimos cinco anos. As áreas onde ocorre o maior número de acidentes graves é o da construção civil e o setor de serviços. Em obras de construção morreram 395 trabalhadores em serviço em 2009. Mas o número provavelmente é maior, porque em muitos atestados de óbito não consta a causa exata da morte. No setor de serviços, as maiores vítimas são os motoristas profissionais, que sofrem acidentes fatais ou que levam à invalidez. São 15 mil acidentes, com 1,5 mil mortes por ano, no transporte de carga, segundo o Sistema de Informações sobre Mortalidade do Ministério da Saúde.

As empresas são legalmente obrigadas a garantir a segurança dos trabalhadores e cabe aos funcionários reclamar e informar quando estão ausentes os equipamentos de proteção para situações perigosas.

O estudo e a pesquisa das condições dos ambientes de trabalho estão a cargo da Fundacentro, ligada ao Ministério do Trabalho. Os dados que são fornecidos pela Previdência Social são incompletos, porque se referem apenas aos segurados do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e não à totalidade da população economicamente ativa. Os trabalhadores informais não entram nas estatísticas dos acidentes de trabalho, por esse motivo, certamente os números são superiores aos que conhecemos.

 Saúde e Segurança no Trabalho para prevenção de acidentes

Imagem: laerciojsilva

As informações são importantes para servir de subsídios às políticas públicas, que tenham como objetivo de reduzir o número de acidentes e mortes no trabalho. Segundo especialistas, praticamente todos os acidentes de trabalho podem ser evitados. Os números de ocorrências é altíssimo e a consequência são pessoas invalidas ou mortas e custos bilionários para a economia.

Saúde e Segurança no Trabalho: o que é bom para empresa, trabalhador e sociedade

Países desenvolvidos, como o Reino Unido, tem um número 10 vezes menor. Um total de 70.116 trabalhadores ficaram feridos na Inglaterra em 2017, com 137 mortes, segundo a instituição Health and Safety Executive (HSE). Apesar do número bem menor do que no Brasil, os ingleses estão seriamente preocupados. As empresas estão sendo estimuladas a criar um ambiente positivo, no qual os empregados não apenas sobrevivam, mas se sintam bem. A lei de Saúde e Segurança no Trabalho (Health and Safety at Work Act) determina que a saúde, segurança e bem estar devem estar no topo das preocupações dos setores de relações humanas, porque doenças e ferimentos, particularmente os relacionados ao trabalho, levam a prejuízos financeiros, tanto para o empregador, quanto para o empregado.

Tanto no exterior, como no Brasil, a segurança e a saúde no trabalho começam a ser vistas como uma forma de aumentar a competitividade das indústrias, pelos setores mais progressistas. Isto porque as despesas com afastamentos e multas podem ser muito altas e a única maneira de evitar isso é investir na prevenção.

 Saúde e Segurança no Trabalho para prevenção de acidentes

Imagem: g1.globo

A administração que leva a sério a Saúde e a Segurança no trabalho (SST) reduz acidentes e aumenta a produtividade dos trabalhadores. A prevenção para a saúde e segurança precisa de métodos de gestão para estruturar adequadamente as práticas adequadas e manter um acompanhamento dos indicadores de segurança e saúde. Quando o empregador se preocupa com a saúde do trabalhador, reduz custos diretos e indiretos e evita multas ambientais e trabalhistas. A saúde é fundamental em uma empresa, porque as doenças e afastamentos por acidentes no trabalho tem um alto custo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.