Descubra o preço
do seu
Plano de Saúde

Descubra o preço do seu Plano de Saúde

Será que a dieta vegana é segura para crianças?

Você tem filhos em idade de crescimento? Veja o que você precisa saber sobre proteínas e vitaminas necessárias para o desenvolvimento das crianças.

Você pode optar por seguir uma dieta vegana porque é boa para o meio ambiente, os animais ou a sua saúde – ou talvez as três.

Mas você pode se perguntar se uma dieta que corta todos os produtos de origem animal também é boa para as crianças em crescimento.

Será que a dieta vegana é segura para crianças?

Imagem: Pixabay

A Clínica Cleveland é um centro médico acadêmico sem fins lucrativos.

De acordo com uma de suas nutricionistas pediátricas, a Dra. Katie Nowacki, uma dieta vegana também pode ser saudável para crianças, mas você pode precisar fazer algumas modificações.

Os pais precisam ter certeza de que seus filhos estão recebendo todas as vitaminas e nutrientes que seus corpos em crescimento necessitam, diz ela.

Satisfazendo a necessidade de proteínas e vitaminas

Atualmente, cerca de 10% dos adultos nos Estados Unidos seguem uma dieta vegetariana.

Infelizmente não temos essa estatística para o Brasil.

Normalmente, um vegetariano não come carne, aves ou peixe, mas come ovos e laticínios.

Um número muito menor de adultos (menos de 1%) é vegano.

Saiba o preço do seu Plano de Saúde

Qual seu tipo de plano?

Simular

Eles não comem nenhum animal, peixe ou aves ou seus produtos.

E isso inclui ovos, laticínios e mel.

Aqueles que seguem dietas veganas ou vegetarianas correm o risco de deficiências, incluindo vitamina B12, ferro, zinco e cálcio.

Será que a dieta vegana é segura para crianças?

Imagem: Pixabay

Comer grãos fortificados pode ajudar a evitar essas deficiências, diz Nowacki.

O mesmo acontece com os suplementos vitamínicos.

Seu pediatra pode aconselhá-lo sobre vitaminas e suplementos, diz ela.

Os corpos em crescimento das crianças também precisam de muita proteína, portanto, você deve garantir que seu filho esteja recebendo o suficiente.

Quando uma criança segue uma dieta vegetariana ou vegana, é importante garantir a ingestão adequada de proteínas, pois a proteína das plantas não é absorvida tão facilmente.

A proteína também é essencial para garantir que uma criança atinja seu potencial de altura total.

Como alterar com segurança a dieta do seu filho

Antes de alterar a dieta de seu filho, é uma boa ideia discutir preocupações e possíveis riscos com seu pediatra ou nutricionista pediátrico.

Descubra quais sintomas observar que podem indicar que as necessidades nutricionais de seu filho não estão sendo atendidas.

Por exemplo, mudanças de humor ou mudanças de energia podem sinalizar um problema, diz Nowacki.

Como alterar com segurança a dieta do seu filho

Imagem: Pixabay

No começo, convém manter um diário da alimentação das crianças.

Em seguida, você pode revisar o diário com seu pediatra para garantir que não esteja esquecendo nenhum desequilíbrio alimentar.

Uma boa regra é manter um registro da dieta por três dias – dois dias da semana e um dia do fim de semana – para dar uma ideia do que eles normalmente ingerem, diz a nutricionista.

Preste atenção às emoções do seu filho

Os pais precisam observar qualquer impacto emocional que seguir uma dieta vegana possa ter nos filhos.

Algumas crianças podem ter sentimentos de separação quando comem de maneira diferente dos seus colegas.

Além disso, seguir uma dieta restritiva ou altamente especializada pode levar a comportamentos alimentares restritivos mais tarde na vida.

Se você suspeitar que seguir uma dieta diferente está incomodando seu filho, é uma boa ideia falar sobre isso.

Tente responder às perguntas dele e explicar os benefícios da sua dieta.

É muito importante que, ao ensinar a seus filhos a seguir uma dieta vegana, se inclua uma boa variedade de grãos integrais e frutas e vegetais integrais.

Não importando qual dieta se siga, é vital ter uma dieta equilibrada, diz Nowacki.

Preste atenção às emoções do seu filho

Imagem: Pixabay

Médicos belgas estão contra pais que impõem veganismo aos filhos

A Academia de Medicina da Bélgica publicou uma advertência afirmando que a dieta vegana gera carências e problemas de crescimento

Nas últimas semanas, a alimentação de um filho tornou-se um assunto importante no debate público na Bélgica, por ser uma das decisões mais pessoais que os pais devem tomar e que, entretanto, não é objeto de consenso.

A polêmica começou quando o responsável pelos Direitos da Criança, na região com idioma francês, Bernard De Vos, procurou a Academia Real de Medicina da Bélgica para que se pronunciasse sobre os riscos potenciais existentes na escolha dos pais por uma dieta vegana para seus filhos.

Sete médicos, membros do Comitê de especialistas da Academia de Medicina Belga, responderam de forma taxativa: a dieta vegana corresponde a “um regime restritivo que implica carências inevitáveis e exige o acompanhamento permanente das crianças para evitar atrasos irreversíveis no crescimento”.

Essa opinião contundente difere de outras opiniões médicas existentes, que estão considerando que a dieta vegana é apropriada para todas as etapas da vida, desde que seja bem planejada.

O pronunciamento da Academia belga foi acompanhado por vários depoimentos dos médicos especialistas, que passaram a alertar para casos “gravíssimos” que levaram à hospitalização da criança.

Isto porque, segundo a avaliação dos médicos, ao seguir a dieta vegana, as crianças deixam de ingerir vitaminas essenciais, como D e B12, além de cálcio, oligoelementos e nutrientes indispensáveis para o seu pleno desenvolvimento.

Trata-se de sequelas como atraso de crescimento, desnutrição, atraso psicomotor e anemias importantes, diz a Dra. Isabelle Thiébaut, pediatra especialista em dietética, uma das participantes do alerta lançado pela Academia.

Pode-se concluir que há um risco claro existente na dieta vegana para crianças.

Não somente para crianças, como adolescentes, mulheres grávidas e as que amamentam.

No entanto, existe uma tendência de crescimento da adesão à dieta vegana e na Bélgica o número de crianças que segue essa dieta já chega a 3% do total.

Isso está levando a um verdadeiro dilema ético dos profissionais de saúde, que tentam explicar aos pais os riscos de optar por essa dieta, mas ao mesmo tempo precisam dar certa liberdade de escolha.

O problema é que o médico muitas vezes percebe que essa dieta representa uma atitude perigosa em relação à saúde de uma criança, segundo afirma o Dr. Georges Casimir, pediatra.

Médicos belgas estão contra pais que impõem veganismo aos filhos

Imagem: Pixabay

Um bebê morreu em 2017, depois de ter sido alimentado, por vários meses, somente com leites vegetais de milho, arroz, aveia e quinoa.

Ao morrer, ele estava abaixo do peso recomendado, o que iniciou a primeira polêmica na Bélgica sobre a maneira pela qual os pais adotam dietas veganas para os filhos.

Segundo os médicos, certas etapas do desenvolvimento da criança devem acontecer em determinados momentos específicos da vida, depois disso, os danos são irreversíveis.

A alimentação com base em legumes, segundo os médicos, tem um alto nível de potássio e fibras para o corpo das crianças.

Mas na infância, o corpo fabrica células cerebrais, o que exige o consumo importante de proteínas e ácidos graxos essenciais.

Eles não são produzidos pelo organismo, é necessário o recurso das proteínas animais, declaram.

Sem esse recurso será imprescindível recorrer à suplementação e realizar exames de sangue com frequência.

Os médicos da Academia Belga elaboraram um relatório de nove páginas com a opinião dos especialistas, destinado a informar a opinião pública e com o objetivo foi chamar a atenção para à contradição de ter de cuidar de crianças nascidas com boa saúde, mas que são levadas a maus hábitos.

Em muitos casos, graças a uma rápida intervenção dos pediatras, foi possível deter o risco que crianças corriam devido à alimentação vegana.

Na Itália, em 2016, a deputada Elvira Savino já havia apresentado projeto de lei para punir os pais que seguirem a dieta vegana com seus filhos e a punição poderia chegar à prisão.

Em 2016, a deputada italiana Elvira Savino apresentou um projeto de lei para punir, mesmo com prisão, pais que seguirem essa dieta com seus filhos.

Entretanto, há contestações de outros especialistas.

O grupo de nutricionistas da Academia Americana de Nutrição e Dietética, talvez o maior do mundo, afirma que a dieta sem produtos de origem animal é apropriada para qualquer etapa da vida, se for seguida com planejamento e informação.

Ainda, uma revisão de pesquisas realizada em 2017 sobre dietas vegetarianas em crianças não foi objetivamente conclusiva em relação aos riscos potenciais.

Resta, portanto, aguardar maiores estudos, mas enquanto isso considerar que os cuidados com a saúde das crianças exigem cautela na adoção de dietas restritivas em proteína animal na fase crucial de seu desenvolvimento e um pediatra deverá sempre ser consultado e acompanhar o processo.

Regina Di Ciommo

Mestre e Doutora em Sociologia pela UNESP, pesquisadora na área de Ecologia Humana e Antropologia, Desenvolvimento e Sustentabilidade Ambiental, foi professora em cursos superiores de Sociologia e Direito, nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Bahia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.