Tabela de preço plano de saúde Caixa

Conhecer a tabela de preço plano de saúde Caixa, ajuda a escolher entre as opções disponíveis e conferir os valores antes de fazer a adesão a um plano de assistência médica.

Porém, é preciso ter atenção, isso porque nem sempre a tabela de um estado é igual de outro, ocorrendo alterações de valores.

Isso ocorre porque há custos diferentes para manter o plano.

Independentemente dessa variação, é possível contar com esse serviço quando ele está disponível na sua região, por isso, não deixe de consultar a tabela de preço plano de saúde Caixa.

Tabela de preço plano de saúde Caixa

Fonte: Pixabay

É possível aderir ao plano de saúde Caixa individual?

Os planos de saúde de Caixa são comercializados apenas para pessoas jurídicas e oferecem a contratação coletivo por adesão.

Isso significa que não existe um plano de saúde Caixa individual, porém é possível contratar um seguro saúde que possui um funcionamento diferenciado.

Onde encontro o simulador plano de saúde Caixa?

É possível que ele seja encontrado no site próprio da Caixa ou por meio de seu corretor, pois ele pode fazer a simulação.

Entretanto, no momento ele está ativo com comercialização suspensa, isso significa que não aceita novos titulares.

Por que consultar a tabela de preço plano de saúde Caixa?

Ao consultar a tabela de preço plano de saúde Caixa, é possível obter diferentes informações que podem auxiliar na escolha do seu plano, entre elas:

  • Saber o valor exato da mensalidade;
  • Verificar as variações de valores por faixa etária e se programar;
  • Ter informações sobre os planos disponíveis e poder optar por um deles;
  • Comparar valores entre os planos da Caixa e de outras operadoras.

Confira a tabela de preço plano de saúde Caixa

A tabela de preço plano de saúde Caixa é bastante extensa, pois conta com os planos disponíveis e valores por faixa etária.

Optamos por trazer apenas algumas informações para que possa visualizar com facilidade, como o valor da mensalidade de um dos planos.

Porém, se deseja consultar a informação completa, consulte um corretor.

Vale ressaltar que como no momento a comercialização está suspensa, o plano de saúde Caixa tabela de preço apresentada é válida apenas para quem já possui o serviço ou para aqueles que desejam incluir dependentes.

PLANO FAIXA ETÁRIA VALOR
Primordial Enfermaria 0 a 18 R$ 239,28
Primordial Apartamento 19 a 23 R$ 288,45
Fundamental Enfermaria 24 a 28 R$ 334,27
Fundamental Apartamento 29 a 33 R$ 433,11
Vital Enfermaria 34 a 38 R$ 518,08
Vital Apartamento 39 a 43 R$ 734,74
Pronto Apartamento 44 a 48 R$ 1.061,33
Completo Apartamento 49 a 53 R$ 2.679,14
Completo + Apartamento 54 a 58 R$ 4.118,05

Depois de conferir a Tabela de preço plano de saúde Caixa é possível ter ideia dos valores praticados pela seguradora.

Se deseja ter um convenio de assistência médica na sua empresa, consulte um corretor.

*Este texto é de conteúdo editorial e não garante a comercialização deste produto nesse site.

*Planodesaude.net não se responsabiliza pelos valores aqui mencionados, visto que o preço do plano de saúde pode variar conforme o perfil de cada beneficiário.

Veganismo, a saúde e o fim dos prazeres da carne

Existem três bons motivos para reduzir ou abandonar o consumo de alimentos de origem animal, o respeito aos seres sencientes, a sustentabilidade ambiental e o ganho em saúde.

Cada vez mais gente assume algum tipo de restrição da ingestão de carne, inclusive exercendo um ativismo para a causa animal. A indústria e a comercialização começam a respeitar a tendência, e as prateleiras dos supermercados mostram isso.

Veganismo, a saúde e o fim dos prazeres da carne

Imagem: thegreenestpost

O leque dos que estão reduzindo ou abolindo o consumo de origem animal, vai dos flexitarianos, que são aqueles que seguem a dieta vegetariana, mas comem carne de vez em quando; vegetarianos, que não comem carne, mas consomem ovos e peixe e veganos, que seguem uma dieta exclusiva de vegetais. Ao todo são milhões. Este é o retrato dos protagonistas de uma revolução nos países onde o consumo de carne diminui, como na Espanha, por exemplo.

Veganismo, a saúde e o fim dos prazeres da carne

Imagem: bbc

No Brasil, juridicamente os animais possuem status de coisa. A Nova Zelândia e a França modificaram suas legislações conferindo aos animais o status de seres sencientes, ou seja, retirando-os da condição de objetos para serem possuídos e usados. Países como a Alemanha, Suíça e Áustria colocaram em seus textos legais o conceito que animais não são objetos.

O que são seres sencientes

A senciência é a capacidade de um ser de ter experiências e ser afetado positiva ou negativamente.  Não é somente a capacidade simples para perceber um estímulo ou reagir a uma dada ação, como no caso de uma máquina que executa algumas funções no comando de um botão. A senciência é a capacidade para sentir, receber e reagir a um estímulo de forma consciente, percebendo-o a partir de dentro.

Veganismo, a saúde e o fim dos prazeres da carne

Imagem: veganserounaoser

Portanto, um ser consciente é um sujeito de experiências, isto é, um ser capaz de experimentar aquilo que lhe acontece, com uma a organização que inclui estruturas de um sistema nervoso, cujo funcionamento dá origem à consciência.

Na Declaração de Curitiba, documento assinado por 26 cientistas, no III Congresso Brasileiro de Biomédica e Bem-estar Animal, confirma que animais têm sentimentos, assim como os seres humanos e não devem ser usados como instrumento em pesquisas, experimentos nem para outras finalidades. A conclusão confirma que animais não são objetos e não devem ser tratados como coisas.

Veganismo, a saúde e o fim dos prazeres da carne

Imagem: veganbusiness

Mudança de hábitos dos consumidores

Pesquisas têm demonstrado que existe a tendência de reduzir o consumo de produtos de origem animal, apesar de ser um fenômeno recente. Produtos de origem vegetal estão em alta nas lojas e restaurantes, na televisão, revistas e nas fotos do Instagram, como o abacate, a chia ou os chamados superalimentos. Levantamento realizado na Espanha, com 2.000 pessoas, em 2017, mostrou que 6,3% da população espanhola se declarou “flexitariana: são três milhões de pessoas dão preferência a dieta baseada em vegetais, sem abandonar totalmente os produtos de origem animal. 0,2% se declararam veganos, isto é, não consomem alimentos de origem animal ou produtos que utilizem animais, como roupas, calçados, cosméticos, etc..  1,3% afirmaram ser vegetarianos, consumindo leite, ovos ou mel.

No total, 7,8% da população adulta está de alguma forma aderindo a essa tendência, o que envolve 3,6 milhões de pessoas. As projeções de mercado são de que os chamados “veggies” movimentarão 4,4 bilhões de euros no mundo em 2020. A maioria desse público é feminino e vive em cidades com mais de 100.000 habitantes.

No Brasil, os dados do Instituto Ibope, mostraram, através de pesquisa realizada em 2018, num total de 102 municípios, que cerca de 30 milhões de pessoas, ou 14% da população brasileira é adepta de uma alimentação que exclui ou restringe a carne do cardápio. Essa tendência é crescente, principalmente nas regiões metropolitanas: 8% dos que vivem nessas áreas se declararam vegetarianos em 2018 e em 2018 esse percentual passou a ser de 16%.

Veganismo, a saúde e o fim dos prazeres da carne

Imagem: Sabonetes da marca inglesa Lush, cosméticos veganos.

O veganismo e a nutrição

Os profissionais da saúde afirmam que uma dieta vegetariana ou vegana, desde que equilibrada, é adequada para o ser humano, em todos os períodos da vida, inclusive na gravidez, lactação, infância e adolescência, bem como para os atletas. Isso é apoiado pela maior entidade de nutricionistas do mundo, a Academia de Nutrição e Dietética Americana.

Dentro as razões que motivam a renúncia aos produtos de origem animal, existem três que são fundamentais: melhorar a saúde, preservar o meio ambiente e respeitar os animais como seres sencientes. O veganismo prega que sua essência não se reduz somente a uma dieta, mas significa um estilo de vida, uma filosofia que inclui uma postura política, inclinada à esquerda e em sintonia com os movimentos como o feminismo e o pacifismo.

Veganismo, a saúde e o fim dos prazeres da carne

Imagem: colecciondeemociones

Saúde em primeiro lugar

Como em tudo que se refere à saúde, a moderação parece ser o principal conselho. Muitos nutricionistas preferem recomendar uma dieta em que se come de tudo, isto é a dieta onívora. Segundo muitos, as proteínas de origem animal fornecem aminoácidos e são bem digeridas. Quem come carne em duas a três porções por semana tem mais chance de manter uma dieta equilibrada. De acordo com eles, ingerir muita proteína também é ruim.

As opções veganas e vegetarianas podem proporcionar benefícios à saúde e até a prevenção de doenças, como o diabetes tipo 2, de acordo com a Academia de Nutrição e Dietética da Espanha. Elas podem funcionar bem se existir um planejamento adequado, em que se obedece ao esquema da pirâmide, em que há lugar para cereais, verduras e frutas, legumes e gorduras saudáveis. Ainda assim, o veganismo leva a uma carência, da vitamina B12, encontrada em alimentos de origem animal. Entretanto ela pode ser encontrada em suplementos, comprimidos, injetáveis ou alimentos enriquecidos. As vitaminas B12 e B9 (ácido fólico) são necessárias para a regeneração celular.

Veganismo, a saúde e o fim dos prazeres da carne

Imagem: veganize

Efeitos no meio ambiente

Segundo a FAO (Food and Agriculture Organization – ONU), a pecuária, principalmente a bovina, cujo principal produtor no mundo é o Brasil, com um total de 215 milhões de cabeças de gado, em 2017 (dados do IBGE) é responsável por 14,5% do total de gases de efeito estufa, número que inclui as emissões diretas (5%) e indiretas, como o transporte. O consumo excessivo de carne e sua produção industrial são uma das principais causas da mudança climática, além da perda de biodiversidade, causada pelo desmatamento, o uso extensivo de água, que causa sua escassez, sofrimento dos animais e aumento dos riscos para a saúde.

De acordo com estudo publicado em maio de 2018, na revista Science (Reduzir os Impactos Ambientais dos Alimentos por meio dos Produtores e Consumidores), 83% das terras adequadas para cultivo do planeta se destinam a alimentar os animais. O consumo de carne proporciona apenas 18% das necessidades calóricas e 37% das proteínas. As 570 milhões de fazendas existentes levam à perda de espécies, sendo que atualmente 86% dos mamíferos são hoje animais de fazenda ou seres humanos. Dois terços da água doce do mundo são usados para a irrigação e apenas um quilo de carne bovina consome 15.000 litros de água na sua produção, de acordo com a FAO.

Veganismo, a saúde e o fim dos prazeres da carne

Imagem: brasil.elpais

O movimento vegano 269 reúne ativistas que denunciam o “especismo”, que é a discriminação de certas espécies de animais em detrimento de outras. Alguns marcam a fogo o próprio braço, outros levam pendurado na orelha uma etiqueta de gado. Seus slogans argumentam: “não coma seus amigos”, por que você ama seu cachorro e come um bezerro?” Ações da militância incluem visitar matadouros, criar santuários para animas resgatados das fazendas industriais.

Plano de saúde cobre exame toxicológico?

Quer saber se algum plano de saúde cobre exame toxicológico? Então acompanhe esse artigo e descubra a resposta para essa pergunta segundo a legislação da área de saúde.

Se sua dúvida é se algum plano de saúde cobre exame toxicológico saiba que a resposta é não.

Nenhum plano de saúde cobre exame toxicológico obrigatoriamente.

Isso porque, o teste não está listado no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar).

O rol é a lista de procedimentos, tratamentos e exames que os planos são obrigados a cobrir no Brasil.

Aqui nós explicaremos melhor para serve o exame toxicológico e como ele pode ser feito.

Plano de saúde cobre exame toxicológico?

Fonte: Pixabay

O que é um exame toxicológico?

O exame toxicológico é realizado através da análise de um fio de cabelo ou um pelo, uma pequena coleta de amostra de sangue, em alguns casos de urina e serve para detectar a presença de substâncias psicoativas no organismo de uma pessoa, ou seja, de drogas, pelo indivíduo.

O teste pode detectar a presença de substâncias como:

  • Maconha e derivados;
  • Ecstasy;
  • Cocaína;
  • Crack;
  • Anfetamina e metanfetaminas;
  • Femproporex;
  • Mazindol;
  • E opiáceos como a heroína, codeína e morfina.

Por que esse tipo de exame pode ser solicitado?

Desde 02 de março de 2015, a lei número 13.103 tornou obrigatório a realização de um exame toxicológico para motoristas que estejam sendo habilitados ou desejem renovar ou alterar o tipo da carteira de motorista.

Em especial para quem deseja alterar a categoria de sua CNH.

A exigência desse exame também é feita para motoristas profissionais, sejam eles caminhoneiros, taxistas, motoristas particulares ou de aplicativos.

Plano de saúde cobre exame toxicológico?

Como citado anteriormente, o plano de saúde não é obrigado a cobrir exame toxicológico.

Afinal, o procedimento não está listado no Rol da ANS.

Uma empresa de transporte, porém, pode requisitar que todos os seus motoristas realizem o teste.

Em casos desse tipo, existe a possibilidade de a companhia contratar um plano de saúde que tenha esse teste listado em contrato.

Assim, seus funcionários poderão utilizar o plano para realizar o exame normalmente.

Agora, se você está em busca da realização desse exame para a renovação ou obtenção da sua carteira de motorista, como dito anteriormente, é possível fazê-lo através de um dos laboratórios cadastrados junto ao DETRAN, mediante o pagamento de uma taxa, em todas as regiões do país.

Como o teste é realizado?

Caso um indivíduo tenha utilizado drogas por até 90 dias anteriores à data do exame, o toxicológico detectará esse consumo.

Esse prazo, porém, pode ser maior – há situações em que o teste pode detectar drogas utilizadas até 12 meses atrás.

O teste visa garantir a segurança das estradas. Isso uma vez que substâncias psicoativas podem interferir na performance do motorista, provocando acidentes.

Unimed cobre exame toxicológico?

Desde que a lei que obriga motoristas de caminhão a realizar o exame toxicológico entrou em vigor, no início de 2016, a Unimed Brasil tomou providências em relação a esse assunto e desenvolveu uma parceria com um laboratório para a realização do exame.

Com base nessa lei já mencionada e nos índices de acidentes envolvendo motoristas de caminhão sob o efeito de drogas durante o exercício de sua profissão.

O plano de saúde criou um tratamento caracterizado como saúde ocupacional, que abrange a realização de exames toxicológicos, acompanhamento psicológico semanal e psiquiátrico, além de orientação emocional para caminhoneiros que sofram de dependência química.

Essa iniciativa foi tomada pela entidade SOU – Saúde Ocupacional Unimed e atende motoristas de caminhão e de outras categorias profissionais sejam eles autônomos ou registrados em um regime CLT.

Qual o preço do exame toxicológico?

Como mencionado, nem sempre exame toxicológico pode ser feito pelo plano de saúde.

Mas o DETRAN possui convênios com laboratórios especializados na realização desse exame em todo o território nacional.

De maneira geral, os valores para a realização do exame toxicológico giram em torno de R$ 290 e R$ 350.

Mas esse valor pode variar muito de uma região para outra, por isso, o mais indicado é que você busque informações mais precisas junto ao DETRAN de sua localidade.

Agora que você sabe que o plano de saúde não cobre o exame toxicológico, mas que existem outras maneiras de realizá-lo.

Vale a pena pesquisar melhor as possibilidades onde você mora.

Tabela de preços plano de saúde Ana Costa

Com o plano de saúde Ana Costa tabela de preços é possível saber os valores praticados pelos planos e assim programar o orçamento.

Cada um dos serviços possui suas características próprias e por isso é preciso verificar não apenas os valores, mas as coberturas e benefícios disponíveis em cada um deles.

Tabela de preços plano de saúde Ana Costa

Fonte: Pixabay

O que o plano de saúde Ana Costa oferece?

O plano de saúde Ana Costa possui atendimento regional e rede credenciada nas cidades de Santos, Guarujá, Cubatão, São Vicente e Praia Grande, apesar de atender em outras localidades segmentos especializados.

Por exemplo, ao consultar o plano de saúde Ana Costa Santos tabela de preços, se informará sobre os valores praticados e também quais são os hospitais, centros médicos e laboratórios que pode conseguir atendimento.

A cobertura inclui atendimento médico, pronto-socorro, consultas, exames, internações clinicas e cirúrgicas, UTI e outros.

A segmentação assistencial disponibiliza cobertura ambulatorial e hospitalar.

Para atender a diferentes necessidades, a instituição oferece planos variados, sendo possível verificar algumas informações na tabela de preços plano de saúde Ana Costa.

Por que consultar na tabela de preços Ana Costa?

Se está na dúvida da importância de fazer essa consulta, te dizemos o motivo.

Antes de adquirir qualquer serviço de saúde é preciso buscar conhece-lo e consultando a tabela poderá verificar:

  • Planos de saúde disponíveis
  • Variação de valores conforme a faixa etária de cada beneficiário
  • Decidir mais facilmente se prefere um plano individual, familiar ou empresarial
  • Ter acesso a rede de atendimento e saber se está próxima a você

Consulte o plano de saúde Ana Costa tabela de preços

O plano de saúde Ana Costa tabela de preços é dividido conforme o tipo de adesão, podendo ele ser individual, familiar ou empresarial.

Por conta disso vamos apresentar algumas dessas variáveis.

Como são muitos planos, deixamos no texto apenas um deles, mas se deseja consultar a tabela completa dos planos individuais e familiar, você pode entrar em contato com a empresa.

Os valores representam apenas um dos planos comercializados, para verificar todos eles basta clicar no link logo acima.

Plano de saúde Ana Costa tabela de preços – individual

Se deseja ter um convênio Ana Costa Penas para você, consulte os valores a seguir.

PLANO FAIXA ETÁRIA VALOR
Individual QC 0 a 18 R$ 160.10
Individual QC 19 a 23 R$ 192.12
Individual QC 24 a 28 R$ 205.58
Individual QC 29 a 33 R$ 226.13
Individual QC 34 a 38 R$ 260.05
Individual QC 39 a 43 R$ 312.06
Individual QC 44 a 48 R$ 400.25
Individual QC 49 a 53 R$ 540.33
Individual QC 54 a 58 R$ 756.47
Individual QC 59 ou + R$ 960.41

Plano de saúde Ana Costa tabela de preços – familiar

Se a ideia é cuidar de toda a família, o plano familiar pode ser e melhor opção e garantir descontos em relação ao individual.

PLANO FAIXA ETÁRIA VALOR
Familiar QC 0 a 18 R$ 144.09
Familiar QC 19 a 23 R$ 172.91
Familiar QC 24 a 28 R$ 185.01
Familiar QC 29 a 33 R$ 203.51
Familiar QC 34 a 38 R$ 234.05
Familiar QC 39 a 43 R$ 280.85
Familiar QC 44 a 48 R$ 360.22
Familiar QC 49 a 53 R$ 486.30
Familiar QC 54 a 58 R$ 680.82
Familiar QC 59 ou + R$ 864.37

Plano de saúde Ana Costa tabela de preços – empresarial

Os valores do plano de saúde Ana Costa variam conforme o número de vidas que serão inclusas em cada empresa.

Na situação a seguir apresentamos os preços para aquelas que possuem de 02 a 29 funcionários.

PLANO FAIXA ETÁRIA VALOR
PME QC 0 a 18 R$ 76.50
PME QC 19 a 23 R$ 103.89
PME QC 24 a 28 R$ 121.97
PME QC 29 a 33 R$ 121.97
PME QC 34 a 38 R$ 121.97
PME QC 39 a 43 R$ 136.23
PME QC 44 a 48 R$ 188.14
PME QC 49 a 53 R$ 224.63
PME QC 54 a 58 R$ 323.03
PME QC 59 ou + R$ 458.03

Depois de conferir a tabela de preços plano de saúde Ana Costa fica mais fácil escolher um que caiba o seu orçamento.

Consulte seu corretor e comece a cuidar melhor de sua saúde.

*Este texto é de conteúdo editorial e não garante a comercialização deste produto nesse site.

*Planodesaude.net não se responsabiliza pelos valores aqui mencionados, visto que o preço do plano de saúde pode variar conforme o perfil de cada beneficiário.

Dor ciática: conheça como superar a crise

Quando acontece uma crise de dor ciática, você precisa de ajuda rápida. Depois dessa experiência, você tem certeza que não quer que ela volte. Conheça melhor esse inimigo e os tratamentos disponíveis.

Apesar de ser uma causa menos comum de dor lombar, a dor ciática acontece com bastante frequência. O clínico geral e os médicos em um plantão de emergência precisam atender quem tem uma crise de dor ciática, para ajudar a controlar a dor. Geralmente a dor melhora com o tempo, e em alguns casos mais persistentes, é preciso considerar a possibilidade de cirurgia ou uma injeção de infiltração de corticoide, para acelerar a melhora.

Dor ciática: conheça como superar a crise

Imagem: health.harvard

O que é a dor ciática?

A dor ciática refere-se a dor causada pelo nervo ciático, que leva mensagens do cérebro até a medula espinhal e para as pernas. A dor da ciática normalmente irradia de um lado da parte inferior das costas para a perna, muitas vezes até abaixo do joelho. A causa mais comum é um disco abaulado na região lombar. Discos são estruturas parecidas com pneus que ficam entre os ossos da coluna. Se a borda externa do disco se rasgar, geralmente devido à pressão rotineira na parte inferior das costas, o material interno tipo gelatina pode sair e apertar ou inflamar o nervo próximo. A dor ciática é mais comum em pessoas de 30 a 50 anos.

Como você sabe se é a dor é no nervo ciático?

A chave para diagnosticar a ciática é uma história completa e um exame específico. Infelizmente, muitos pacientes esperam uma radiografia ou ressonância magnética e os médicos, muitas vezes enfrentando limitações de tempo, pedem um, mesmo sabendo que os exames de imagem realmente não nos ajudam a tratar melhor a ciática. Os sintomas da dor ciática são muitas vezes piores com a tosse e podem ser acompanhados por dormência ou formigamento na perna. Um exame físico pode confirmar que o nervo ciático está envolvido, com a observação de sintomas como fraqueza ou reflexos diminuídos nas pernas, que sugiram a pessoa precise de encaminhamento para um especialista. (Isso não acontece com frequência.)

Dor ciática: conheça como superar a crise

Imagem: remediosdecasa

Como tratar a dor e controlar a ansiedade

Muitas pessoas pensam que quanto pior a dor, mais provável que algo de ruim esteja acontecendo. No entanto, isso não é verdade para a ciática. No entanto, o corpo pode reabsorver o material do disco que está causando os sintomas, mesmo para aqueles com dor severa. Assim, o tratamento médico se concentra no controle da dor e na recomendação para que o paciente se mantenha o mais ativo possível. Se a dor é excruciante, deitar-se por curtos períodos pode ajudar, mas o repouso prolongado na cama não ajuda. Então, o melhor a fazer é procurar andar distâncias curtas.

Não ficar parado

Como sentar aumenta a pressão sobre os discos na parte inferior das costas, os especialistas recomendam evitar ficar sentado por tempo prolongado ou dirigir. Muitas pessoas tentam tratamentos como fisioterapia, massagem, acupuntura e manipulação quiroprática, mas as evidências sugerem que, embora essas abordagens possam ajudar a dor lombar, elas são menos úteis para a dor ciática. Medicamentos analgésicos de venda livre, como ibuprofeno, podem ajudar, quando não é possível o uso de medicamentos para a dor mais fortes e prescritos.

Dor ciática: conheça como superar a crise

Imagem: drlucianopellegrino

A maioria melhora por si só

A boa notícia é que, para a maioria (aproximadamente três de cada quatro) pessoas, os sintomas melhoram ao longo de algumas semanas. Raramente aparece um caso em que é recomendada cirurgia imediatamente. Somente depois de um período de seis semanas, em que o paciente não melhora, é que pode ser opção a cirurgia. Ela pode acelerar a recuperação, mas os especialistas afirmam que os pacientes que fazem a cirurgia, depois de seis a 12 meses geralmente estão se saindo tão bem quanto aqueles que apenas decidiram dar ao corpo um tempo para se curar sozinho.

Cirurgia

A cirurgia envolve a remoção do material do disco que está afetando o nervo. Geralmente, é um procedimento muito seguro, mas embora as complicações sejam raras, elas podem acontecer. Além disso, de 5% a 10% dos pacientes que se submetem a cirurgia não encontram resultados ou podem mesmo ter dor pior depois.

Dor ciática: conheça como superar a crise

Imagem: blogpilates

Infiltração

As infiltrações são procedimentos em que um medicamento esteroide é injetado na área afetada. Vale a pena considerar o procedimento para aqueles com dor descontrolada ou para aqueles com sintomas persistentes e incômodos, que querem evitar a cirurgia. As injeções podem fornecer alívio a curto prazo. Como qualquer procedimento, ele apresenta riscos incomuns, incluindo mais dor e não parece diminuir a necessidade de uma cirurgia futura.

A das pessoas com dor ciática costuma ter medo, principalmente porque é uma dor que nunca tiveram. Por isso, chegam com medo ao consultório médico e querem alívio rápido, querem apelar para a cirurgia e as injeções. Entretanto, é importante saber que a maioria vai melhorar com o tempo e e assim evitar os riscos incomuns desses procedimentos.

Dor ciática: conheça como superar a crise

Imagem: vertebrata

Um médico pode avaliar se você precisa de encaminhamento imediato para um especialista. Mas em muitos casos, o procedimento pode ser direcionado para controlar a dor e se manter ativo, enquanto o próprio corpo se conserta. Se não houver melhora, é possível que o médico queira pedir uma ressonância magnética antes de pensar em uma cirurgia ou uma injeção. Mas isso pode uma decisão tomada só se o paciente insistir em acelerar a recuperação. Para aqueles que sentem que podem controlar a dor, é provável que a cirurgia possa ser adiada por até seis meses, sem arriscar problemas de longo prazo.

O alívio da dor

O alívio da dor nem sempre está num frasco de comprimidos. A dor pode assumir muitas formas e o alívio não é um processo de tamanho único para todos. O alívio da dor sem drogas ou cirurgia explora além dos limites do tratamento médico padrão e considera as muitas outras abordagens que estão disponíveis para alívio da dor.

Dor ciática: conheça como superar a crise

Imagem: drauziovarella

A dor é debilitante, interferindo na capacidade de dormir, trabalhar e aproveitar a vida. Pode agravar outras condições de saúde e levar a sintomas de depressão e ansiedade. Aliviar a dor pode requerer uma abordagem que abrange toda a pessoa, não apenas o sintoma e isso nem sempre pode ser feito com clareza. Muitas pessoas preferem escolher diferentes tratamentos e remédios para a dor, combinando-os em um regime que se encaixa em seus estilos de vida.

Além dos analgésicos padrão e procedimentos cirúrgicos de problemas específicos, os pacientes e seus médicos também têm acesso a uma ampla gama de terapias sem drogas para a dor, como acupuntura, tratamentos tópicos, alongamentos e yoga são apenas algumas das muitas opções disponíveis.

Nem todo mundo é capaz ou está disposto a tomar medicação para a dor todos os dias, e nem todos podem ou devem fazer uma cirurgia para condições dolorosas. A boa notícia é que a medicina tradicional está agora adotando uma variedade maior de tratamentos do que nunca antes. E é importante reconhecer quando é hora de consultar um médico para uma avaliação da dor. Se uma nova dor se desenvolver e persistir além de alguns dias, consulte o seu médico. E consulte um médico imediatamente se tiver dor no peito ou qualquer outra coisa que possa ser grave. A dor intensa deve ser sempre um sinal de que é necessária uma consulta médica.

Plano de saúde para fisioterapeutas

Profissionais empenhados em cuidar dos outros também merecem todo o cuidado e atenção. Assim, é importante contratar um plano de saúde para fisioterapeutas.

Você já ouviu falar nos planos de saúde para profissionais específicos? Há a assistência para bombeiros, para professores, o plano de saúde para fisioterapeutas…

Os fisioterapeutas são profissionais da saúde que se dedicam para cuidar do bem-estar dos outros.

Tanto que, algumas vezes, acabam se esquecendo de cuidar deles mesmos.

Então, surgem problemas de saúde, que podem afetar sua vida pessoal e profissional. Um grande incômodo, não é mesmo?

É por isso que o plano de saúde para fisioterapeutas é tão importante.

Com esse tipo de assistência, é mais simples agendar uma consulta, prevenir e tratar os problemas.

Especialmente se compararmos essa facilidade ao atendimento oferecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

No SUS, podem ocorrer vários atrasos nas marcações — as filas nos postos são prova disso.

Quer saber como funciona o plano de saúde para fisioterapeutas, suas vantagens e diferenciais?

Então, continue acompanhando o texto! A seguir, contamos tudo o que você precisa saber sobre o assunto!

Plano de saúde para fisioterapeutas

Fonte: Pixabay

Como funciona o plano de saúde para fisioterapeutas?

Existem vários “tipos” de planos de saúde para fisioterapeutas.

Quando esses profissionais trabalham em grandes hospitais particulares, por exemplo, eles costumam poder contar com planos de saúde do próprio hospital.

Ainda assim, essa é uma realidade para poucos.

A grande maioria dos especialistas trabalha em clínicas, empresas e até mesmo de forma autônoma.

Por isso, eles não têm acesso a um plano de saúde por meio da empresa a que estão vinculados.

Porém, mesmo com esse fator, é possível que os fisioterapeutas tenham um plano voltado para a sua categoria.

Esse tipo de assistência pode ser contratado por meio do sindicato que os representa.

Os sindicatos normalmente contam com uma administradora de benefícios, que garante acesso a planos de saúde de ótimas operadoras.

Assim, o fisioterapeuta pode entrar em contato com o sindicato, escolher a operadora e o plano que mais lhe interessa e fazer a adesão.

Há um sindicato para a categoria em cada estado do País. Por isso, sempre fique atento àquele que o representa em sua localidade.

Geralmente, um plano específico à categoria pode ser contratado por fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais.

O órgão nacional a que os profissionais podem ser associados é  a Associação de Fisioterapeutas do Brasil (AFB).

Uma das grandes vantagens da opção é que, muitas vezes, é possível estender esse benefício também para outros membros da família.

Dessa forma, o fisioterapeuta se torna o titular e pode acrescentar outros dependentes, deixando os seus familiares bem cuidados.

Vantagens do plano de saúde para fisioterapeutas

São muitas as vantagens em contar com um plano para fisioterapeutas.

Entre elas, está a possibilidade de se pagar valores mais baixos em relação aos planos individuais.

Isso acontece porque o sindicato negocia planos para um número maior de pessoas.

Assim, consegue obter alguns descontos na mensalidade de cada usuário.

É preciso dizer que, apesar do valor reduzido, o atendimento continua o mesmo.

Assim, caso o seu plano seja Ambulatorial, ele oferecerá as mesmas assistências que teria se contratado por conta própria.

Um plano Ambulatorial oferece atendimentos mais básicos, que não requerem internação.

Já o plano Hospitalar permite internação e exames mais complexos.

Apenas o plano Hospitalar com Obstetrícia cobre parto e procedimentos relacionados à gravidez.

Enquanto isso, um plano Referencial é mais completo, unindo a assistência Hospitalar com Obstetrícia e Ambulatorial.

Na hora de contratar o seu convênio para fisioterapeutas, vale a pena avaliar qual dessas segmentações estão disponíveis.

Depois, avalie qual delas é a mais interessante à sua saúde e ao seu bolso.

De modo geral, quanto mais completo o plano, mais caro ele é. Porém, seu custo-benefício pode ser bastante atraente.

Ao mesmo tempo, é possível contar com uma ampla rede de atendimento.

As empresas operadoras são as mais variadas, mas costumam possuir médicos, laboratórios, hospitais e, em alguns casos, até mesmo obstetrícia.

Deste modo, o fisioterapeuta consegue cuidar da saúde por completo, com acesso a todos os especialistas e exames necessários para ficar saudável.

Muitos planos oferecem outros benefícios. Há, por exemplo, programas preventivos e de cuidados com a saúde, dos quais os fisioterapeutas também podem participar.

Com esse atendimento, além de cuidar do seu próprio bem-estar, o profissional pode aprender um pouco e aprimorar o seu trabalho.

Carência do convênio para fisioterapeutas

Importante dizer que, ao aderir a um plano, muitas vezes é preciso aguardar um período de carência.

A carência é o prazo entre a assinatura do contrato e a data em que é possível começar a utilizar o plano.

Porém, contratando um plano de saúde para fisioterapeutas, o usuário pode obter a redução, ou até mesmo isenção, de carência.

Novamente, essa vantagem existe graças à contratação do plano por um maior número de pessoas do sindicato.

Assim, logo após a adesão, já é possível agendar consultas e exames em poucos dias.

Mesmo com os atrativos de um convênio específico você, fisioterapeuta, pode não se interessar em adquirir o serviço por intermédio do sindicato.

Nessa situação, é possível entrar em contato direto com a operadora de saúde e tentar negociar.

Algumas das empresas oferecem descontos especiais a algumas categorias profissionais — especialmente para categorias médicas.

Assim, elas podem contribuir para a Saúde do País. Afinal, se os profissionais estiverem bem, oferecerão atendimento mais qualificado aos seus pacientes.

Sempre vale a pena considerar todas as opções ao alcance.

Coloque no papel cada opção de plano de saúde para fisioterapeutas e avalie seus custos e assistências.

Sempre que possível contrate o serviço com o maior número possível de atendimentos.

Assim, você terá a certeza de poder contar com os mais variados cuidados para o seu bem-estar.

Plano saúde Unimed empresarial

Quer contratar um plano de saúde para os seus funcionários? Ou, quem sabe, sugerir uma nova operadora em sua empresa? Então, é hora de conhecer o plano de saúde Unimed Empresarial. Com uma rede ampla, a opção pode ser cheia de vantagens!

Ter um plano de saúde Unimed empresarial pode ser algo cheio de benefícios.

Isso porque, a empresa oferece as mais variadas assistências em saúde, com diferentes especialistas.

Para se ter uma ideia, a Unimed é uma das maiores operadoras do Brasil e detém 30% do mercado nacional de planos de saúde.

Para atender a seus beneficiários, ela conta com mais de 114 mil médicos cooperados e 113 hospitais próprios, além de toda a sua rede credenciada.

Com a Unimed, fica mais fácil encontrar onde se consultar. Essa facilidade vale tanto para planos empresariais, quanto para planos familiares ou individuais.

Mas antes de optar pela empresa, é importante conhecer suas regras e recomendações.

Afinal, ela precisa se encaixar bem com a sua proposta de assistência.

Quem busca um bom plano de saúde precisa pesquisar bem quais são os benefícios oferecidos por cada operadora de saúde.

Talvez, então, você esteja se perguntando: qual a diferença entre o plano empresarial e o individual? O serviço da Unimed vale a pena? Essas são algumas das informações que apresentaremos a seguir. Continue acompanhando e descubra tudo o que você precisa saber sobre o assunto!

Plano saúde Unimed empresarial

Fonte: Pixabay

Como é o plano de saúde Unimed empresarial?

Na hora de contratar um plano de saúde, é possível adquirir as mais variadas assistências.

Entre elas, há o plano empresarial, destinado às empresas que desejam proporcionar a seus colaboradores acesso a um plano de saúde de qualidade.

Desse modo, a companhia cuida dos seus funcionários, garante maior qualidade de vida e, consequentemente, estimula um trabalho mais dedicado.

Sem dúvida, a grande vantagem de um plano de saúde Unimed empresarial é a facilidade de contratação pelo funcionário.

Isso porque, é a empresa quem realiza todos os trâmites. O colaborador só precisa concordar com o serviço, e depois utilizá-lo normalmente.

Outro ponto interessante é o preço do plano de saúde Unimed empresarial, mais baixo do que um plano individual ou familiar.

O custo mais baixo existe por dois motivos principais. Primeiro, porque a empresa faz a contratação do serviço para um grande número de pessoas.

Assim, consegue desconto nas mensalidades.

A segunda razão para a economia ocorre pelo modo de pagamento do plano.

A empresa pode pagar sozinha pelo serviço, sem nenhum custo ao funcionário; ou dividir a mensalidade com o colaborador.

A divisão de valores é mais comum, mas, ainda assim, é vantajosa ao indivíduo.

Afinal de contas, o montante que é descontado do seu salário, para o pagamento do plano, é bem menor do que seria pago por um plano particular.

Para as empresas o benefício está em proporcionar melhores condições a seus colaboradores.

O plano de saúde Unimed empresarial também acaba funcionando como um fator que atrai bons funcionários e os mantém na empresa.

Quem não quer contar com uma boa assistência à saúde, não é mesmo?

Além disso, o plano de saúde pode ser gerenciado de forma bastante simples.

Por meio de sistemas informatizados, o gestor da empresa consegue realizar todos os procedimentos, como incluir funcionários, pegar boletos e acompanhar o plano.

Enquanto isso, o colaborador pode utilizar o site da Unimed ou o seu aplicativo para marcar consultas, visualizar resultados de exames e mais.

Quais são os planos de saúde Unimed empresariais?

Os planos de saúde para empresa variam de acordo com a região que o cliente se encontra.

Isso porque, a Unimed possui “subdivisões” no País, como a Unimed BH.

O objetivo dessa descentralização é garantir um atendimento mais personalizado e cuidadoso a cada região.

De qualquer forma, o plano de saúde Unimed empresarial costuma estar disponível para empresas a partir de duas vidas.

Ou seja, para quando a companhia deseja contratar a assistência para, pelo menos, dois funcionários.

Os planos de saúde Unimed empresariais podem contar com cobertura regional, que se limita a área de atuação da cooperativa no qual o plano foi contratado; ou então possuir abrangência nacional, permitindo que ele seja usado em toda a rede Unimed do País.

Existem ainda os planos com abrangência intermediária, que possuem cobertura em todo o estado.

Os serviços cobertos também podem variar de acordo com a solicitação da empresa.

Existem planos mais simples, incluindo atendimento apenas ambulatorial e procedimentos mais restritos.

Porém, quem deseja um plano completo pode contar com atendimento ambulatorial, hospitalar e com obstetrícia.

Os planos mais completos vão abranger atendimentos como consultas, exames, internação, cirurgia, clínicas, partos, entre outros.

Se você é um empreendedor, vale a pena comparar o custo-benefício de todas essas opções.

Normalmente, quanto mais completa a cobertura, mais “feliz” seus colaboradores ficarão com o serviço.

Ainda assim, vale a pena avaliar se essa “felicidade” não vai pesar tanto no caixa da companhia.

Tipos de plano empresarial e período de carência

Como citamos no texto, a empresa pode escolher dividir ou não os custos do plano com seus funcionários.

Já na hora de escolher a forma de pagamento, é possível que a companhia opte por duas modalidades: com ou sem coparticipação.

No caso de um plano coparticipativo, a empresa (ou empresa e funcionário) paga uma mensalidade mais baixa.

Então, quando plano é utilizado, uma taxa extra é cobrada. Já a assistência sem coparticipação tem uma mensalidade maior, mas já inclui todos os procedimentos sem custos adicionais.

Assim que a adesão do plano é firmada, é preciso cumprir o período de carência dos procedimentos.

A carência é o prazo entre a data de assinatura do contrato e o dia em que é possível utilizar dos serviços do plano.

Essa espera pode variar de 24 horas a 24 meses.

De qualquer forma, uma empresa costuma contratar vários planos de uma só vez.

Por isso, em muitos casos é possível obter a redução, ou até mesmo isenção, da carência.

A mudança nas condições vai depender da negociação feita com a operadora e o número de funcionários no plano de saúde Unimed empresarial.

Não se esqueça de negociar este aspecto, pois ele vai permitir que os seus funcionários usem logo o plano de saúde.

Se eles tiverem que aguardar a carência, poderão se sentir frustrados com a assistência oferecida pelo empregador.

*Este texto é de conteúdo editorial e não garante a comercialização deste produto nesse site.

Tabela de preços plano de saúde Campinas

Verificar a tabela de preços plano de saúde Campinas é uma das formas de começar a decidir sobre o seu próximo plano de saúde. Isso porque ela contém valores dos serviços de assistência médica, permitindo que você escolha um que caiba no seu orçamento.

Campinas está localizada no interior do estado de São Paulo e conta com planos que atendem apenas as cidades da região, como os que atendem ao estado e a todo território nacional.

Na hora de escolher vale a pensa considerar os locais que mais frequenta para fazer a escolha certa.

Se costuma ficar só pela cidade, vale a pena um plano regional, mas se viaja com frequência opte pelo estadual ou nacional conforme os seus destinos.

Tabela de preços plano de saúde Campinas

Fonte: Pixabay

O que vai encontrar no convênio médico Campinas?

Quem contratar um plano de saúde em Campinas poderá contar com diferentes opções de cobertura, isso porque cada operadora ode trabalhar com uma segmentação assistencial e oferecer benefícios extras ao que determina o rol de procedimentos da ANS.

De uma forma resumida é possível ter acesso a consultas, exames, internações e outros serviços de saúde.

Eles podem ser de medicina preventiva ou atendimento para os casos de identificação de doenças ou tratamento.

Na tabela de preços plano de saúde Campinas é possível encontrar os valores e também algumas das coberturas ofertadas, para isso é necessário verificar ela na íntegra.

Por exemplo, na tabela de preço plano de saúde Beneficência Portuguesa Campinas, encontrará os serviços e valores prestados por essa instituição.

São diversas opções para quem mora na cidade e para te ajudar a escolher, separamos alguns deles.

Confira a tabela de preços plano de saúde Campinas

Por conta da variedade de planos, escolhemos alguns de operadoras para que atuam na cidade.

Para que a tabela não ficasse tão grande, consideramos a faixa etária de 0 a 18 anos para a nossa pesquisa.

Porém, se deseja conferir os preços para outras idades, assim como outros planos disponíveis, clique nesse link e tenha acesso as informações completas.

Tabela de preços plano de saúde Campinas pessoa física

No plano de saúde campinas preços pessoa física separamos os valores referente aos serviços vendidos na modalidade individual de apenas um dos planos ofertados por cada operadora.

OPERADORA PLANO VALOR
Amil Fácil Amil Fácil 50 QC SP Mun R$ 213.84
Amil Fácil Amil Fácil 50 QC SP Mun | Copart R$ 171.08
Saúde Beneficência Agile QC R$ 147.00
Saúde Beneficência Selection Access 220 QC | Copart. R$ 160.00

Tabela de preços plano de saúde Campinas pessoa jurídica

A tabela de preços plano de saúde Campinas para pessoa jurídica considera os valores comercializados para PME, podendo ele variar conforme o número de vidas.

Por isso, optamos por aqueles com o menor número delas inclusas.

OPERADORA PLANO VALOR
Amil Saúde Amil 200 QC R$ 222.11
Amil Saúde Amil 500 QP R$ 355.74
NotreDame Intermédica Smart 300 QC R$ 118.96
NotreDame Intermédica Advance 600 QP R$ 212.91
 Saúde Beneficência Sabe Access 200 QC R$ 93.45
 Saúde Beneficência Selection QP R$ 201.32

Ao conferir a tabela de preços plano de saúde Campinas que separamos pode ter uma noção dos valores, mas se deseja mais opções entre em contato com um corretor.

*Este texto é de conteúdo editorial e não garante a comercialização deste produto nesse site.

*Planodesaude.net não se responsabiliza pelos valores aqui mencionados, visto que o preço do plano de saúde pode variar conforme o perfil de cada beneficiário.

Como se recuperar da síndrome da estafa ou “burnout”

Quando você está esgotado, os problemas parecem intransponíveis, tudo parece sombrio e é difícil reunir energia para reagir e ajudar a si próprio. A infelicidade e o desapego causados pela estafa podem ameaçar seu trabalho, seus relacionamentos e sua saúde. Mas, reconhecendo os primeiros sinais de aviso, você pode tomar medidas para brecar esse processo e recuperar o equilíbrio e logo começar a se sentir positivo e esperançoso novamente.

Como se recuperar da síndrome da estafa ou “burnout”

Imagem: inc.com

Estafa ou burnout é um estado de exaustão emocional, física e mental causado pelo estresse excessivo e prolongado. Ocorre quando você se sente sobrecarregado, emocionalmente esgotado e incapaz de atender às demandas constantes. À medida que o estresse continua, você começa a perder o interesse e a motivação que o levaram a assumir um determinado papel, que considerava prioritário.

A estafa reduz a produtividade e consome a sua energia, deixando-o cada vez mais desamparado, desesperado, cínico e ressentido. Eventualmente, você pode sentir que não tem mais nada para dar.

Os efeitos negativos da estafa se espalham em todas as áreas da vida – incluindo sua casa, trabalho e vida social. O “burnout” também pode causar alterações de longo prazo em seu corpo, que o tornam vulnerável a doenças como gripes e resfriados. Por causa de suas muitas consequências, é importante lidar imediatamente com o esgotamento.

Como se recuperar da síndrome da estafa ou “burnout”

Imagem: greenme

Como se recuperar do “burnout” ou estafa

O primeiro passo é entender que você tem estado sob pressão. Seu segundo passo é mudar os seus hábitos para equilibrar o trabalho com sua vida pessoal.

1 – Trabalhe de maneira mais inteligente

Você conhece essa frase “não trabalhe mais tempo, trabalhe de maneira mais inteligente”? Existem muitas ferramentas que ajudam você a organizar seu tempo e simplificar suas tarefas! A primeira coisa em que você deve investir é em uma lista de tarefas. Existes até aplicativos muito simples que irão ajudá-lo a acompanhar tudo o que você já fez e o que tem que fazer.

Existem programas que podem ajudar a enviar e-mails e podem ser uma boa solução para você. Preso com telefonemas? Sugira adicionar o bate-papo ao vivo como contato adicional com seus clientes, para soluções questões mais rapidamente. Mesmo pequenas coisas como adicionar o Whatsapp nas suas ferramentas de contato podem fazer a diferença.

Como se recuperar da síndrome da estafa ou “burnout”

Imagem: visao

Pense em qualquer tarefa que consuma muito do seu tempo. É muito provável que alguém tenha inventado um aplicativo que economize tempo ao realizar essa tarefa. Isso ajudará você a gerenciar com mais sucesso suas tarefas e seu tempo.

Dica: não recomendo o uso de aplicativos de controle de tempo, pois isso pode deixar você ainda mais preocupado com sua “baixa produtividade”.

2 – Desligue

Às vezes não é possível, então, pelo menos, tente dar-se algum tempo sem verificar seus e-mails, mensagens ou perfis de mídia social. Dê a si mesmo o direito de estar “offline” e viver sua vida. Sua empresa não entrará em colapso se você não responder rapidamente e você não será demitido porque não respondeu aos e-mails no sábado.

Como se recuperar da síndrome da estafa ou “burnout”

Imagem: viagens

Aprenda a deixar seu celular em casa quando você sair com seu parceiro ou parceira ou seus amigos. Você já viu todas essas pessoas sentadas juntas em uma mesa e ainda verificando seus celulares? Você não quer ser uma delas não é?

Mesmo que Bill Gates ligasse para você oferecendo um emprego, se ele realmente quisesse contratar você, ele ligaria novamente durante o horário comercial. Sugestão: se tiver problemas em adormecer, não verifique o seu celular ou tablet pelo menos 2 horas antes de adormecer. Telas brilhantes de celulares, tablets e laptops podem mexer com o seu cérebro, ele acha que ainda é dia.

3 – Diga não às redes sociais

A menos que você seja um gerente de mídia social, você realmente não precisa do Facebook nem do Twitter em seu celular, portanto, dependendo do seu grau de esgotamento, considere desinstalá-lo. Se parecer muito drástico, desative todas as notificações e verifique apenas duas vezes por dia.

Como se recuperar da síndrome da estafa ou “burnout”

Imagem: livechatinc

A rede social é a pior perda de tempo de todas, porque, toda vez que você fizer que entrar verá algo interessante para você. Sem considerar os vídeos de gatos engraçados, existem coisas realmente incríveis que podem te sugar por horas, pode ser um artigo sobre como melhorar sua produtividade, como ser um bom chefe ou o campeonato de futebol nacional.

Você pode pensar que vale a pena ler e saber, mas pense desta forma: ainda é uma gota no oceano do conhecimento. A Internet está cheia de coisas igualmente importantes e se não dominarmos tudo não quer dizer que somos ignorantes. Não verifique o Twitter ou o Facebook ou, pelo menos, não durante os finais de semana. A mídia social pode dar a ilusão de relaxar, mas, na verdade, seu cérebro está examinando cada site em busca de informações e lembrando-se das imagens.

Dê um basta.

Como se recuperar da síndrome da estafa ou “burnout”

Imagem: namucursos

4 – Relaxe

Há alguns especialistas que publicam listas deste tipo “12 coisas que as pessoas de sucesso fazem antes do café da manhã.” Mais ou menos a descrição da manhã de uma pessoa de sucesso é a seguinte:

  • Eles acordam cedo,
  • Eles se exercitam,
  • Eles trabalham em um projeto de negócios de alta prioridade,
  • Eles trabalham em um projeto de paixão pessoal,
  • Eles passam um tempo de qualidade com a família,
  • Eles verificam seus e-mails e leem as notícias.

Soa como um tempo seriamente ocupado, mas prova apenas uma coisa: que um dos efeitos colaterais da vida moderna e intensa é que não temos tempo para relaxar. Então, se você tende a estar ocupado não apenas no período da manhã, mas durante todo o dia, considere reduzir esse ritmo. Você não precisa fazer tudo de uma só vez. Se você quiser pular a academia e dormir mais tempo – faça isso! Se você não sente que quer ler as notícias, então não leia.

A melhor maneira de relaxar é desconectar-se do mundo exterior e concentrar-se em si mesmo. Dê a si mesmo pelo menos 5 minutos de um momento tranquilo, sem pensar em seu trabalho e suas obrigações. Faça um passeio, acalme seu cérebro e ouça o silêncio. Se você estiver morando em um bairro barulhento, leve sua família para um fim de semana em que possa se ocupar com atividades diferentes.

Se você quiser aprofundar o relaxamento mental, pode tentar meditar. É difícil no começo, mas a meditação ajuda a sentir-se mais revigorado, enérgico, paciente e produtivo.

Como se recuperar da síndrome da estafa ou “burnout”

Imagem: wanderluxe

5 – Trabalhe menos

Estudos mostram que 41% não tiraram um dia de folga no ano de 2015. Isso explica porque, na sociedade ocidental, o esgotamento e o estresse crônico passaram a ser um dos grandes problemas.

Trabalhar menos é importante, mas, no entanto, parece ser o passo mais difícil. Para alguns isso acontece porque o trabalho é uma paixão, mas para a grande maioria, isso acontece por necessidade financeira. Mas pense desta forma: se você está esgotado, você está mentalmente esgotado. Você não tem energia ou motivação para trabalhar. O esgotamento emocional afeta sua produtividade e desempenho no trabalho de maneira negativa.

A conclusão é simples, você precisa de férias para funcionar melhor. Além disso, se você acordar de manhã cedo e à noite ainda estiver no trabalho, deve pensar novamente em sua atitude. Seu negócio entrará em colapso se você sair mais cedo? Ou se você não responder a este e-mail hoje? Acho que não.

Um equilíbrio saudável entre vida pessoal e profissional

Um estilo de vida estressante pode colocar as pessoas sob extrema pressão, a ponto de se sentirem exaustas, frustradas e esgotadas. O estresse no trabalho também pode causar sintomas físicos e mentais. Isso interfere na capacidade de prestar atenção ou na concentração, afeta nosso desempenho no trabalho, causa problemas interpessoais em casa, diminui nossa felicidade e pode criar problemas reais de saúde.

Felizmente, com um pouco de paciência, você pode superar o problema. Lembre-se do seu tempo livre e tente separar o tempo em que você está trabalhando e o momento em que você está descansando. Desconecte-se da realidade online e preste atenção ao mundo ao seu redor. Não se esqueça de tirar suas férias, fazer esportes e tentar encontrar interesse em meditação. Leve seu trabalho menos a sério e procure sentir prazer nas suas tarefas diárias.

Qual é a diferença entre seguro saúde e plano de saúde?

Quer saber qual a diferença entre seguro saúde e plano de saúde? Veja seguindo os nossos exemplos!

Quem busca um atendimento médico adequado sabe que é preciso contar com uma operadora de saúde para administrar isso.

Por isso as pessoas acabam optando por contratar um plano, seja ele individual ou coletivo.

Mas qual a diferença entre um plano de saúde e o seguro saúde?

Conheça 8 mitos sobre plano de saúde que você precisa conhecer!

Qual é a diferença entre seguro saúde e plano de saúde?

Fonte: Pixabay

Sobre o plano de saúde e o seguro saúde

O plano individual é feito diretamente entre o contratante e a operadora, já os planos coletivos são feitos por intermédio da empresa na qual o funcionário trabalha ou alguma associação ou sindicato ao qual é vinculado.

Muita gente não percebe que ás vezes acaba optando por um serviço que não é especificamente um plano de saúde, apesar de garantir também acesso aos mesmos serviços.

Apesar dos nomes serem bastante parecidos o funcionamento deles é diferente, isso porque a forma de utilização muda.

O que vai determinar o tipo de serviço é a abrangência do contrato, ou seja, o que cada um irá oferecer.

– Plano de saúde

Essa é a opção da maioria das pessoas e também a modalidade mais conhecida.

Nesse caso a utilização dos serviços ocorre em rede própria ou credenciada, para que se possa utilizar os serviços é preciso verificar quais são os profissionais e locais que atendem pelo convênio.

Para isso o beneficiário precisa utilizar apenas os profissionais que fazem parte dessa rede e para garantir esse acesso é preciso fazer o pagamento de um valor mensal que determina quais procedimentos estão inclusos no plano.

Em alguns casos não muito comuns é possível também que o beneficiário escolha um profissional que está fora da rede credenciada e depois receba o reembolso.

Porém essa opção só é válida se estiver determinada no contrato.

O plano de saúde na prática

Quem possui o plano de saúde pagará uma mensalidade que pode ser ou não coparticipativa.

No caso de haver coparticipação, significa que sempre que o usuário precisar de atendimento ele deve escolher um profissional ou local que faça parte da rede própria ou credenciada.

Ao fazer isso ele agenda o atendimento, passa elo procedimento e no mês seguinte quando receber a fatura será cobrado o valor da mensalidade mais a participação que ele possui no procedimento feito.

Se não houver coparticipação o procedimento é o mesmo, com a diferença de que o valor da mensalidade é fixo.

Vantagens do plano de saúde

O plano de saúde é mais procurado e isso acontece porque as pessoas veem alguns benefícios nele. Conheça.

Facilidade para encontrar hospitais, clinicas e laboratórios

Como existe uma rede credenciada, o beneficiário deve pesquisar nela os locais próximos a ele para que possa conseguir atendimento.

Isso pode ser feito facilmente verificando o guia médico, muitas vezes disponibilizado de forma online.

 Possibilidade de portar o plano

No plano de saúde é possível mudar de seguradora ou operadora e não ter de cumprir a carência novamente.

Esse é um estimulo para que se possa mudar de prestadora de serviço sem ter que aguardar qualquer período pelo atendimento.

Custos reduzidos

A diferença entre seguro saúde e plano de saúde pode ser percebida nos valores pagos uma vez que o plano de saúde acaba sendo mais econômico.

Como o pagamento é por mensalidade com ou sem coparticipação e a rede é limitada é possível conseguir menores valores.

Já no seguro saúde como ocorre o reembolso, nem sempre ele corresponde ao valor integral do procedimento realizada, cabendo ao usuário arcar com a diferença.

– Seguro saúde

Nesse caso as operadoras não possuem nenhum vínculo com profissionais de saúde e nem hospitais e clinicas.

O beneficiário tem a livre escolha, por isso pode optar pelo profissional que preferir assim como o hospital.

A diferença é que nesse caso ele irá receber o reembolso das despesas sejam elas com consultas, exames e cirurgias.

Os procedimentos cobertos pelo seguro saúde devem ser discriminados no contrato para que o segurado saiba ao que tem direito e esses podem ter um limite máximo para o valor do reembolso.

Algumas seguradoras também já estão disponibilizando aos seus clientes uma outra modalidade de serviço, nesse caso elas pagam direto ao prestador de serviço sem que o cliente precise desembolsar nenhum valor.

O seguro saúde de saúde na prática

A diferença entre plano e seguro de saúde pode ser percebida na forma de utilização.

O beneficiário precisa encontrar por conta própria um profissional ou local de atendimento e verificar como esse funciona.

Ao passar por um procedimento médico deverá pagar todas as despesas do próprio bolso e posteriormente solicitar o reembolso ao seguro saúde.

Normalmente é preciso aguardar um prazo para ter o dinheiro devolvido e há limitação de valores para cada um dos procedimentos.

Isso costuma ser disponibilizado por meio de uma tabela.

Se os gastos forem maiores do que o limite, a diferença sairá do bolso do beneficiário.

Vantagens do plano de saúde

Apesar de ser uma modalidade diferente de acesso aos serviços de saúde, o seguro possui algumas vantagens.

Possibilidade de escolha

Muita gente questiona o que é seguro saúde e porque deveria contratá-lo. A primeira resposta que vem à mente é a possibilidade de escolha.

Como não existe restrição de rede credenciada é possível escolher qualquer profissional de saúde para prestar o atendimento.

Praticidade para utilizar

A diferença entre seguro saúde e plano de saúde é que no primeiro caso não é preciso aguardar liberação de procedimentos, a burocracia é muito menos.

Enquanto nos planos de saúde alguns procedimentos precisam passar por analise e deve haver a autorização da operadora para liberação, o que pode demorar dias, no seguro não há essa necessidade.

Basta realizar o procedimento, pagar por ele e depois solicitar o reembolso.

Serviço mais personalizado

Os seguros saúde podem ser montados por diferentes módulos de serviços, isso quer dizer que o usuário consegue encontrar com mais facilidade um produto feito sob medida para ele.

Para isso é preciso incluir apenas os procedimentos que são de interesse e assim se tem um seguro saúde personalizado.

A regulamentação

Tanto o seguro saúde como o plano de saúde são regulamentados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e devem seguir diversos critérios para que possam ser comercializados.

Enquanto os planos de saúde são fiscalizados com base na Lei 9.961/00, de 2000, os seguros e saúde seguem a Lei nº 10.185, de 2001.

Antes o que era responsabilidade de fiscalização da Susep passou a ser da ANS por se entender que isso está relacionado a cuidados com a saúde muito mais do que com seguros.

Em ambos os casos os beneficiários conseguirão ter acesso ao atendimento de saúde particular, porém o que irá mudar é a forma como isso é feito.

Agora a venda online de planos de saúde está regulamentada. Saiba mais!

Como escolher a melhor cobertura do seguro saúde e plano de saúde

O plano de saúde, assim como o seguro saúde, oferece cinco coberturas em comum. Conheça quatro coberturas segmentadas:

  • Plano ambulatorial:dispondo de cobertura básica, como consultas médicas e outras.
  • Plano de referência:inclui as coberturas dos planos hospitalares e ambulatoriais.
  • Plano hospitalar:tem como foco oferecer internação hospitalar, cobrindo gastos com despesas médicas e enfermeiras, além de exames complementares, tratamento de quimioterapia, transfusões e medicamentos.
  • Plano odontológico:cobre despesas com tratamento dentário, como cirurgias menores, endodontia, periodontia, entre outros.
  • Plano hospitalar com obstetrícia:além da cobertura do plano hospitalar, ele ainda oferece atendimento para pré-natal, eventuais complicações durante o pós-parto e assistências ao parto e ao recém-nascido por até 30 dias.

Sabendo da diferença entre seguro saúde e plano de saúde é mais fácil escolher um produto que atenda às suas necessidades, mas deve fazer as contas para saber qual é mais vantajosos.

No caso de dúvidas, não deixe de entrar em contato conosco!

Saiba quanto custa um parto com e sem um plano de saúde e contrate já o seu plano.