dcsimg

ENCONTRE SEU
PLANO DE SAÚDE
EM 30 SEGUNDOS!

ENCONTRE SEU PLANO DE SAÚDE EM 30 SEGUNDOS!

Qual o seu DDD?


ou ver Listas Patrocinadas

Mas da onde vem o desejo de ter o corpo perfeito?

O modelo de beleza imposto na sociedade é causa de discriminações na escola e no trabalho. A obsessão em conseguir a corpo perfeito está na origem de doenças como a anorexia, a vigorexia ou bigorexia.

Estudos recentes tentam demonstrar que se trata de mais de um reflexo de competição de que vontade própria. Os estudos revelaram que o ser humano tem sempre a tendência de se comparar com aqueles que aparentam ser superiores. Nossa sociedade destaca a magreza para as mulheres e músculos para os homens, valorizando esses atributos como símbolo do sucesso e de saúde. Portanto, manter a competição com essas pessoas significa perder peso.

Mas da onde vem o desejo de ter o corpo perfeito?Podemos parar de reclamar contra a existência de todas essas fotos, essas revistas que nos mostram constantemente esses corpos de deuses musculares e magros. Podemos explicar mais facilmente porque hoje à noite vamos comer salada sem molho e tomar comprimidos para perder gordura: estamos em competição!

O interesse da mídia em utilizar as manequins famosas da moda é influenciar a população, feminina em particular. Para as mulheres, as manequins e celebridades formam uma elite que dita os códigos da mulher perfeita. Esse interesse é realmente comercial, porque a consumidora, olhando uma publicidade na qual aparece uma mulher com um corpo atraente, vai sentir a inveja de se parecer com ele.

Clique aqui e faça a cotação do seu plano de saúde.

É fato já conhecido que as fotos das manequins e das celebridades são, em sua maior parte, modificadas com a ajuda de ferramentas de ponta, como o photoshop e outras… Além do mais, essas manequins se beneficiam de uma maquiagem feita por profissionais. Assim, uma mulher de aparência comum pode muito facilmente se transformar em um modelo de beleza.

Mas da onde vem o desejo de ter o corpo perfeito?As fotos retocadas são consideradas, atualmente, na França, uma incitação à anorexia. Há inclusive propostas para que a lei obrigue os anúncios a mencionar “foto retocada”, como parte da luta contra a anorexia. A incitação à anorexia é um dos principais flagelos que atingem, na França, aproximadamente 10% das jovens entre 16 a 22 anos, complexadas pela impossibilidade de possuir um corpo semelhante àquele das manequins. Algumas se tornam obstinadas, com prejuízo de sua saúde, fazendo de tudo para ter um corpo que, de fato, não vai jamais existir.

Para o sociólogo francês Jean-François Amadieu, diretor do Observatório para Discriminações, as discriminações físicas são graves e devem despertar mais interesse na sociedade.

Discriminação e exigência de corpos perfeitos

Discriminação e exigência de corpos perfeitosA exigência de corpos perfeitos quase nunca é questionada em nossa sociedade. Numerosos empregos são simplesmente fechados àqueles cuja aparência física não obedecem ás normas definidas de beleza (um índice adequado de massa corporal – IMC, uma boa altura, juventude…) As pesquisas demonstram essa discriminação, que na verdade é uma das mais fortes em nosso país.

Que tal cuidar da sua saúde agora? Aproveite e faça a cotação do seu plano de saúde.

No universo publicitário ou na mídia, a presença de corpos enrugados ou idosos é uma exceção. As mulheres obesas são, assim, as primeiras vítimas dessa discriminação. A aparência físca é também o primeiro motivo dos deboches, “bullyings”, tratamentos injustos, que começam na escola.

Segundo Amadieu, é notável que essas discriminações e esses sofrimentos em razão da aparência física despertaram pouco interesse por parte das empresas, que geralmente evitam esse assunto e preferem se concentrar na propaganda da  “diversidade” ou relativas às questões de gênero. A sedução da juventude é, mais do que nunca, uma “competência”, procurada e legítima aos olhos de todos.

Discriminação e exigência de corpos perfeitos

Sabemos que, de acordo com relatório recente da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e da Organização Pan-americana de Saúde (Opas), com o título de “Panorama da Segurança Alimentar e Nutricional na América Latina e Caribe”,  20% da população adulta brasileira é obesa e o sobrepeso, no Brasil, passou de 51,1% em 2010, para 54,1% em 2014.

Essa população pertence, em sua maioria, às classes populares e esse fato é importante para compreensão de que o culto da beleza, ao mesmo tempo que a rejeição do corpo “imperfeito” é um elemento essencial na construção das desigualdades e da forma como elas existem na sociedade, quer no Brasil, como na maioria dos países ocidentais.

Anorexia, Vigorexia ou bigorexia – o culto ao corpo vira doença

Os distúrbios alimentares passaram a ser considerados um problema mental  e preocupam os psiquiatras. A mais conhecida forma desses distúrbios é a anorexia nervosa, um transtorno alimentar em que o sujeito vê seu próprio corpo de maneira distorcida, muito acima do peso. Essa percepção errônea faz com que pratique dietas de risco, abuse de exercícios físicos, provoque o vômito depois das refeições e use medicamentos laxantes, de forma inadequada. O problema é mais comum em mulheres, mas também pode afetar homens.

Anorexia

Imagem: Anorexia.

A anorexia é muito perigosa, afetando a saúde como um todo. Há perda da imunidade, enfraquecimento de ossos e músculos, até chegar à arritmia cardíaca e convulsões, levando à morte em 15% dos casos.

Recentemente, a Associação Americana de Psiquiatria juntou aos distúrbios alimentares e de percepção do próprio corpo o “dismorfismo muscular” ou bigorexia, ou ainda vigorexia, que se manifesta em torno do início dos vinte anos.

Vigorexia

Imagem: Vigorexia.

A obsessão pelo corpo perfeito, em jovens, homens ou mulheres, é assunto que está interessando cada vez mais aos psiquiatras. A bigorexia é um problema de saúde mental, que leva à pessoa que o sofre a treinar diariamente longas horas, a restringir a alimentação ou alimentar-se de forma exagerada e a tomar suplementos alimentares. Essa defasagem entre a realidade e a percepção do próprio corpo vem afetando majoritariamente aos homens.

Os psicoterapeutas observam que os pacientes são pessoas frequentemente perfeccionistas, animadas por um desejo de agradar aos outros. A perfeição com relação ao corpo é considerada importante em nossa sociedade e os ideais de beleza masculina acabam por levar os homens até a superar a obsessão das mulheres jovens com o corpo perfeito.

Segundo os psicólogos, a utilização do corpo masculino na publicidade está muito relacionada com o aumento significativo dos casos de bigorexia. De acordo com os terapeutas, não podemos nos impressionar com a aparência de saúde de certos homens jovens. As atitudes obsessivas que tomam levam a graves consequências sobre o fígado, os rins, o sistema cardiovascular e as articulações.

Anorexia, Vigorexia ou bigorexia – o culto ao corpo vira doença

O distúrbio, também conhecido como vigorexia, faz com que a pessoa queira ser cada vez mais forte. E é cada vez mais frequente, o que pode ser notado pela quantidade de “selfies” exibindo o peitoral ou os músculos do braço, que vemos nas redes sociais.

A vigorexia é o oposto da anorexia, mas o quadro também leva à baixa auto estima, ansiedade, depressão e até ao suicídio. O uso de anabolizantes é frequente, para aumentar a massa muscular, o que tem consequências negativas para a saúde.

A vigorexia ou disformia muscular, com a obsessão de malhar, pode ser diagnosticada quando a pessoa está constantemente insatisfeita com o próprio corpo, mesmo que esteja com músculos definidos e desenvolvidos, continua buscando incontrolavelmente conseguir mais força e definição muscular. Nesse esforço, deixam de frequentar eventos sociais, não sabem falar de outra coisa que não seja dieta, criticam quem não faz dieta, não comem nada fora de sua dieta, o que prejudica o seu convívio com a família e os amigos.

Provavelmente originada em um episódio de “bullying” na infância ou adolescência, ou sentimento de rejeição muito grande, a vigorexia precisa ser tratada com um profissional da psicologia ou psiquiatria.

O que você achou deste artigo? Sua avaliação é muito importante para nós!
Por favor, atribua uma nota:

avaliação
Rating

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.