dcsimg

ENCONTRE SEU
PLANO DE SAÚDE
EM 30 SEGUNDOS!

ENCONTRE SEU PLANO DE SAÚDE EM 30 SEGUNDOS!

Qual o seu DDD?


ou ver Listas Patrocinadas

Outubro Rosa: saiba mais sobre a prevenção do câncer de mama

A campanha Outubro Rosa é mundial e acontece todos os anos. O resultado esperado são atitudes de prevenção e diagnósticos precoces do câncer de mama

É importante sempre estar alerta para a prevenção do câncer de mama, mas no mês de outubro a campanha insiste na conscientização da população feminina e da sociedade em geral.

Laço Rosa, símbolo do Outubro Rosa.

Imagem: Laço Rosa, símbolo do Outubro Rosa.

O laço rosa, símbolo da campanha, começou a ser usado em 1990. Nesse ano aconteceu a primeira Corrida pela Cura, em Nova York. Nessa corrida, a Fundação Susan G. Komen for the Cure, criadora da campanha, começou a distribuir laços rosa para os participantes e vem daí a tradição anual do símbolo que é o laço rosa.

Atualmente, outras cidades do mundo realizam a corrida, inclusive no Brasil, como Ribeirão Preto. Além da corrida, surgiram as ações de iluminação de prédios públicos, monumentos, pontes e teatros, com a cor rosa, iniciando pelo “Mausoléu do Soldado Constitucionalista” (Obelisco do Ibirapuera), em São Paulo, SP. Em outubro de 2008, outros monumentos foram iluminados, por diversas entidades comprometidas com a luta contra o câncer de mama, destacando-se a estátua do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro.

Clique aqui e faça a cotação do seu plano de saúde.

Na ocasião, mulheres receberam informações sobre o câncer o mama, tiraram suas dúvidas sobre prevenção e cura desta doença e puderam doar seus cabelos para confecção de perucas para mulheres em tratamento (a quimioterapia, como se sabe, causa queda de cabelos).

Outubro Rosa: saiba mais sobre a prevenção do câncer de mamaDiagnóstico precoce é essencial

O câncer de mama, é o tipo de câncer mais perigoso para as mulheres e, infelizmente, está aparecendo em mulheres mais jovens. O autoexame precisa ser rotineiro para todas as mulheres, independentemente da idade, sendo a mamografia indicada anualmente a partir dos 40 anos, ou antes, dependendo do diagnóstico clínico feito pelo médico.

O autoexame

A campanha Outubro Rosa adverte para a importância do autoexame. De acordo com pesquisas de 2016, realizadas pelo INCA (Instituto Nacional do Câncer), 66,2% dos diagnósticos iniciais são feitos pelas próprias pacientes. O Dr. Fernando Maluf, oncologista responsável pelo setor de Oncologia do Hospital Santa Lúcia, em entrevista ao Correio Brasiliense, informou que, com a mamografia anual indicada para as mulheres com mais de 40 anos, as mais jovens muitas vezes não se informam sobre a doença. E a incidência sobre as mulheres mais jovens vem aumentando.

Segundo o médico, o percentual de incidência é de uma para cada 10 mulheres, o que equivale a até 10% da população feminina. Fatores como a idade e o sedentarismo estão contribuindo para aumentar o crescimento da doença. Entretanto, as taxas de cura, quando a doença é diagnosticada precocemente é de 95%.

Que tal cuidar da sua saúde agora? Aproveite e faça a cotação do seu plano de saúde.

Conheça os estágios do câncer de mama

Estágios fazem referência à classificação segundo a sua gravidade ou extensão. A classificação permite que o médico faça a melhor opção de tratamento.

Os estágios do câncer de mama fazem referência à classificação da doença de acordo com sua extensão ou gravidade, e auxilia o médico na escolha do melhor tratamento.

A classificação considera o tumor primário localizado nas mamas, se o câncer invadiu os gânglios próximos, se existe ou não metástase à distância, isto é se há outros tumores em outras partes do corpo. Para investigar o estágio do câncer de mama, o médico pode solicitar exames de laboratório, raios-x e outros exames.

Existem 5 estágios do câncer de mama, assim caracterizados:

Estágio 0, 1 e 2 – estágios iniciais, em que o tumor está limitado à mama. Nestes 3 estágios a mulher tem chance de cura, sendo o diagnóstico feito o mais cedo possível e com boa resposta ao tratamento.

Estágio 3 – o câncer de mama está espalhado para os nódulos linfáticos, isto é, para outros tecidos próximos da mama, mas não para outros locais do corpo.

Estágio 4 – estágio chamado de “câncer de mama metastático” ou avançado, fase em que se expandiu para outros órgãos do corpo, como pulmões, ossos, fígado, cérebro ou outros. Apesar de não haver ainda cura, o câncer de mama metastático é hoje tratado com terapias que permitem melhor qualidade de vida e posterguem a quimioterapia.

Cristo Redentor na campanha Outubro Rosa 2016

Imagem: Cristo Redentor na campanha Outubro Rosa 2016.

Conheça os fatores de risco para o câncer de mama

Os fatores de risco mais conhecidos para o aparecimento do câncer de mama são:

  • Fatores genéticos – o risco do desenvolvimento de um câncer de mama é aumentado pela existência de dois genes, o BRCA1 e BRCA2. As mulheres que tem história familiar câncer de mama ou mesmo de ovário, podem avaliar a presença desses genes. Cerca de 5 a 10% dos casos são relacionados com fatores genéticos.
  • Idade – a partir dos 50 anos,o risco de desenvolver a doença aumenta.
  • Menstruação precoce – ou ocorrer a primeira menstruação antes dos 12 anos de idade.
  • Menopausa mais tarde – ocorrer a menopausa depois dos 55 anos de idade.
  • Obesidade ou sobrepeso.
  • Reposição hormonal – Utilizar a terapia de reposição hormonal.
  • Alcoolismo – Uso de bebidas alcoólicas.
  • Sem filhos – Não ter filhos ou ter tido o primeiro filho depois dos 35 anos de idade.
  • Seios densos – os seios que tem pouco tecido adiposo ou gordura e mais tecido glandular.

Alguns destes fatores predispõem a mulher a um maior risco de desenvolver um câncer de mama avançado. Veja a seguir:

 

Saiba como prevenir o câncer de mama ou seu avanço

Saiba como prevenir o câncer de mama ou seu avanço

Até o momento, no estágio em que se encontram as pesquisas sobre a doença, a melhor maneira de evitar o câncer de mama é diagnosticá-lo cedo, e se for o caso, removê-lo. A consulta anual ao ginecologista é muito importante, para realizar todos os exames de rotina necessários.

Quem não segue essa orientação tem mais probabilidade de encontrar um câncer depois que ele já chegou a um estágio avançado. Existem diversos tratamentos que podem fazer com que tumores parem de crescer ou diminuam de tamanho, diminuindo os sintomas da doença, mesmo no caso do câncer de mama metastático.

Novos medicamentos têm sido desenvolvidos para atuar nas alterações moleculares específicas das células do câncer de mama, chamados de “terapias-alvo”. Esse avanço melhorou a individualização do tratamento, aumentando a possibilidade de controle da doença e diminuindo os efeitos colaterais dos medicamentos.

As pesquisas científicas continuam procurando novos tratamentos para impedir que o câncer de mama inicial se espalhe e se torne metastático. Vêm sendo estudados medicamentos para bloquear a ação de enzimas que colaboram para a metástase, além de impedir que os vasos sanguíneos alimentem essas células do câncer de mama.

Acesso ao tratamento

O SUS – Sistema Único de Saúde – fornece tratamento para o câncer de mama, mas ele pode não estar disponível em todas as cidades ou não estar acessível. Quando isso acontece, o tratamento se torna mais complicado e desconfortável para as pacientes.

Para quem tem um plano de saúde, o tratamento será mais rápido. Na maioria dos planos de saúde, o tratamento do câncer de mama é oferecido assim que a doença é detectada. Entretanto, algumas operadoras de plano de saúde podem dificultar o acesso a esse atendimento, desrespeitando as normas da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar). Nesse caso, a paciente deverá recorrer à Justiça, para garantir os seu direito ao tratamento.

O que você achou deste artigo? Sua avaliação é muito importante para nós!
Por favor, atribua uma nota:

avaliação
Rating

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.